​"Compreensão e disciplina" entre cabo-verdianos em França

PorExpresso das Ilhas, Lusa,10 abr 2020 13:25

O sentimento geral da comunidade cabo-verdiana em França, uma das maiores que o país tem no mundo, é de "compreensão e disciplina" face às medidas impostas pelas autoridades francesas, relata o embaixador de Cabo Verde em França.

"A comunidade não é homogénea e esta situação impacta as pessoas de forma diferente consoante a sua actividade e o seu estatuto. Há um sentido de compreensão e disciplina pelas medidas [em França] ", declarou Hércules Cruz, em declarações à agência Lusa.

"Vamos procurando acompanhar mais a vida das pessoas e saber os seus problemas. Os nossos meios de apoio são limitados, mas pelo que conseguimos ver é que há preocupação e acções de solidariedade no âmbito das associações e das pessoas individualmente", indicou.

O embaixador alerta que há uma parte da comunidade que "não é visível" para os serviços de acção social em França e que muitos membros da comunidade cabo-verdiana trabalham em sectores muito afectados pelo confinamento como o sector da construção civil.

A embaixada e a missão consular estão actualmente fechadas, com a maior parte dos funcionários a trabalhar em regime de teletrabalho. No entanto, o acompanhamento continua a ser feito em casos urgentes e os telefones da missão diplomática continuam a funcionar como antes.

"Muitas pessoas querem saber se podem voltar ou ir ao país de férias, como habitualmente, e temos dito às pessoas, conforme as orientações também em França, que ainda é cedo para marcar viagens", disse Hércules Cruz, acrescentando que "essa incerteza tem um impacto não só económico, mas também psicológico".

A embaixada tem também acompanhado casos de emigrantes em França que estão retidos em Cabo Verde, cabo-verdianos retidos em França que precisam de documentação especial para que o seu visto seja prolongado e ainda franceses que estão em Cabo Verde e procuram esclarecimentos junto da representação do país aqui em Paris.

À diáspora, Hérculos Cruz pede agora serenidade para lidar com este período de quarentena, mostrando-se compreensivo para quem vive em espaços pequenos, especialmente na região parisiense, onde se concentra uma parte importante desta comunidade.

"Pedimos serenidade. Sentimos uma unidade muito grande entre quem está na diáspora e quem está no país. Compreendemos que estamos num momento singular da Humanidade, mas tal como em outros momentos, este momento tem o seu tempo. O facto de sabermos que haverá um fim, dá-nos esperança", concluiu.

Cabo Verde totaliza sete casos de infecção desde o início da pandemia, entre os quais um morto. Na quinta-feira, as autoridades cabo-verdianas anunciaram que morreram 12 cidadãos de Cabo Verde no estrangeiro vítimas da doença

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África é de 630 num universo de mais de 12.219 casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente actualização dos dados da pandemia naquele continente.

A pandemia do novo coronavírus já matou 96.340 pessoas em todo o mundo e infectou quase 1,6 milhões em 193 países e territórios desde o início da pandemia, em Dezembro passado, na China.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,10 abr 2020 13:25

Editado porFretson Rocha  em  17 jan 2021 23:20

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.