Aeroportos nacionais crescem em Novembro apesar da perda de 1,7 milhões de passageiros

PorExpresso das Ilhas, Lusa,11 dez 2020 9:51

Os aeroportos nacionais movimentaram quase 25.500 passageiros em Novembro, mantendo a recuperação mensal após a paragem quase total até Julho, mas já perderam mais de 1,7 milhões de passageiros em 2020. No mesmo mês, a FIR Oceânica do Sal controlou, em média, 57 aeronaves por dia, o maior número desde Março, início da pandemia, segundo dados da empresa pública ASA.

De acordo com um boletim de tráfego da empresa pública Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), os aeroportos nacionais receberam em Novembro 725 aeronaves (-75% face a 2019) e 25.453 passageiros em embarques, desembarques e trânsito (-89,5% face a 2019). Trata-se de um crescimento de 2.650 passageiros face ao mês anterior.

Apesar da recuperação do movimento que se registou todos os meses depois da suspensão em finais de Março dos voos domésticos (até 15 de Julho) e dos voos internacionais comerciais (até 12 de Outubro), para conter a transmissão da covid-19, os aeroportos de Cabo Verde atingiram, nos 11 meses de 2020, uma quebra de passageiros de 70,5%, face ao mesmo período de 2019.

De Janeiro a Novembro de 2019, o movimento em embarques, desembarques e trânsito ascendeu a 2.515.500 passageiros, mas caiu no mesmo período de 2020 para 741.293, dos quais 510.248 provenientes de voos internacionais e os restantes de voos domésticos.

Representa uma quebra total de 1.774.207 passageiros face ao mesmo período de 2019.

O Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, a mais turística e que tem registado um movimento anual acima de um milhão de passageiros, contou em Novembro com apenas 273 pessoas transportadas em voos internacionais e 2.287 em voos domésticos. No mesmo mês de 2019, o aeroporto tinha movimentado, no total, 105.430 passageiros.

Ainda de acordo com o boletim de tráfego da ASA, a FIR Oceânica do Sal controlou 1.727 aeronaves em Novembro, contra os 4.711 no mesmo mês de 2019 (-63,3%).

Em Março, o movimento de aeronaves na FIR Oceânica do Sal já tinha caído 30%, para 3.566 aeronaves, mas seguiram-se meses de mínimos históricos: 512 aviões em Abril, 622 em Maio, 831 em Junho e 999 em Julho.

A recuperação acelerou em Agosto e Setembro, para respectivamente 1.114 e 1.295 aviões controlados a partir do Sal, no espaço aéreo gerido por Cabo Verde, subindo em Outubro para 1.665.

De Janeiro a Novembro deste ano, a FIR Oceânica do Sal já controlou 21.834 aeronaves, uma quebra de 59% face aos mesmos 11 meses de 2019. O pico histórico mensal do movimento na FIR Oceânica do Sal registou-se em Julho de 2019, com um total de 5.424 aeronaves controladas, equivalente a 175 sobrevoos diários.

Das principais operadoras a sobrevoar o espaço aéreo de Cabo Verde a companhia portuguesa TAP destacou-se, segundo a ASA, ao chegar a uma quota de 17,7%, correspondente a 10.304 voos em 2019, um aumento de 4,5% face ao ano anterior.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,11 dez 2020 9:51

Editado porAndre Amaral  em  11 dez 2020 14:48

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.