Colónia de férias entre opções e limitações

PorDulcina Mendes,17 jul 2021 7:50

Com o término do ano lectivo, começam as actividades para ocupar os tempos livres das crianças. Pelo segundo ano consecutivo, as colónias de férias serão realizadas num contexto de pandemia, com algumas limitações tendo em conta as regras de segurança impostas pelas autoridades sanitárias.

Este ano, conforme os nossos entrevistados, o ambiente está mais tranquilo do que o ano passado, pois as pessoas já estão a conseguir conviver melhor com a pandemia. No contexto em que estamos a viver, o número limite de crianças será um dos obstáculos, mas vai haver propostas para todos os gostos. Para tomar o pulso às diversas actividades de lazer programadas para crianças e jovens neste período de férias, o Expresso das Ilhas conversou com responsáveis de alguns espaços na Cidade da Praia e no Mindelo.

Biblioteca Nacional

Na Biblioteca Nacional decorre, desde esta segunda-feira até 13 de Agosto, a “Biblioteca de Verão 2021”, destinada a crianças dos 5 aos 12 anos. Durante este período serão realizadas actividades que incluem leitura infanto-juvenil, jogos com livros, culinária, música, reciclagem, aulas de inglês e francês, jogos tradicionais de diferentes modalidades desportivas e visita aos espaços patrimoniais da Cidade da Praia e na Cidade Velha.

Segundo a presidente do Conselho Directivo da Biblioteca Nacional, Matilde Santos, essas actividades serão realizadas mediante o cumprimento de todas as regras e orientações do Ministério da Saúde.

“Por isso vamos ter um número limitado de inscrições; nos anos anteriores costumava ser diferente, mas este ano temos um limite máximo de 30 crianças que serão divididas em dois grupos de 15 tendo em conta o espaço que temos, trazendo todas as regras de segurança”, explica.

Para Matilde Santos, o número limite de crianças é um dos principais obstáculos que se coloca à organização. “O número limite é um dos obstáculos, mas, de resto, há muita procura. São dois meses em que as crianças estão de férias e a nossa preocupação é realizar actividades que estejam enquadradas com os livros, a leitura e os autores”.

Conforme explicou, todas as actividades que estão previstas no programa durante as cinco semanas têm o livro e leitura pelo meio. “Todas as actividades que iremos realizar têm como foco o livro – desde a leitura, contos, visitas aos espaços patrimoniais e históricos aqui na Cidade da Praia: é tudo à volta do livro e da leitura”.

Em relação aos anos anteriores, sublinhou, a Biblioteca Nacional acrescentou outras actividades, nomeadamente aulas de inglês e de francês, várias modalidades de desporto e jogos tradicionais. “São essas as actividades que introduzimos este ano para enriquecer o programa”.

Espaço Gota d’Arte

O espaço Gota d’Arte, no bairro da Fazenda, oferece às crianças dos 5 aos 12 anos actividades como dança, teatro, capoeira, contação de história, precursão, vários jogos tradicionais, artes plásticas e culinária. A colónia de férias neste espaço terá início no dia 19, e terá a duração de um mês.

Segundo a coordenadora Bety Fernandes, esta colónia de férias além de um número reduzido de crianças, terá brincadeiras individuais para evitar o contacto. “Estamos a criar dinâmicas que não deixam de ser colectivos, mas em termos de acção eles terão menos contacto, o que é uma pena e lamentamos. Vamos colocar as crianças a fazer actividades individuais, mas pensando no colectivo”, assinala.

Nos anos anteriores tinham muito mais brincadeiras de grupos nas colónias de férias, mas devido à pandemia tiveram de se adaptar aos novos tempos. “É uma pena, porque no meu trabalhão penso sempre no afecto, carinho e abraços, para criar aquela amizade”.

Bety Fernandes avançou que um dos temas que vão focar nesta colónia de férias é a saúde, “porque temos uma parte da culinária, onde as crianças vão falar da higienização das frutas. Vamos preparar salada de frutas e falar da importância do consumo de frutas”.

Cesária Évora – Academia de Artes

Na Cesária Évora - Academia de Artes, as férias de Verão vão proporcionar aos mais novos um espaço de aprendizagem e novas experiências, com a realização da “Oficina de Verão”. Musicalização, bateria, teatro, leitura, ilustrações, fotografia, estórias e ilustrações são algumas das opções para as férias escolares, que decorrem de 6 a 29 de Julho.

Museu Etnográfico da Praia e Museu de Arqueologia

O Museu Etnográfico da Praia e o Museu de Arqueologia, pretendem realizar colónias de férias para crianças dos 6 aos 12 anos. O objectivo desta colónia de férias, conforme informações avançadas na página do Facebook do Museu Etnográfico da Praia, é de incutir nos mais pequenos a importância do museu e os valores da cultura cabo-verdiana. “A colónia de férias é um dos projectos da direcção dos museus com vista a valorizar a vocação educativa e pedagógica desta organização tendo como público as escolas e a comunidade”.

image

A colónia de férias no Museu Etnográfico da Praia e o Museu de Arqueologia, decorre até 23 de Julho. Durante esse período, as crianças terão oportunidade de visitar os museus e participar nos ateliês de dança tradicional, de jardinagem, de pintura, de tambor, de língua gestual e oficina de teatro.

São Vicente

ALAIM

A Academia Livre de Artes Integradas do Mindelo (ALAIM) realiza de 19 de Julho a 20 de Agosto, Férias Artes Verão ALAIM – FAVA 2021, para os mais pequenos da ilha de São Vicente.

Durante um mês de FAVA, as crianças dos 5 aos 15 anos terão aulas de teatro, canto, percussão, capoeira, hip hop, criatividade, sessão de cinema, artes plásticas, jogos tradicionais e passeios para conhecer a história da Cidade do Mindelo.

Segundo a coordenadora geral da ALAIM, Janaina Alves, a FAVA envolve muito a parte artística e durante cinco semanas as crianças terão diversas oficinas e no final fazem uma apresentação daquilo que aprenderam para os pais ou familiares.

“Temos teatro, dança, música e este ano vamos realizar passeios para conhecerem um pouco a história do Mindelo. Vão visitar alguns pontos que são históricos e teremos ainda jogos tradicionais e sessões de cinema. Basicamente é isso que vai funcionar”, indicou.

Janaina Alves conta que no ano passado realizaram a FAVA dentro do contexto pandêmico. “Foi um pouco mais complicado, porque foi em Julho do ano passado, estávamos todos a lidar com essa doença, que era uma novidade”.

“Este ano estamos a ter uma adesão muito maior, porque as pessoas não vão de férias por causa da pandemia, e os casos estão a diminuir. As pessoas estão a procurar e a confiar mais em participar nas actividades”, frisou.

A coordenadora da ALAIM disse que vão receber menos crianças do que nos anos anteriores, tudo por conta da pandemia. “Antes recebíamos até 120 crianças e agora reduzimos para metade, por uma questão de segurança”.

 Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1024 de 14 de Julho de 2021.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,17 jul 2021 7:50

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 jul 2021 8:39

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.