CMP justifica utilização da antiga lixeira com crise aguda de lixo

PorSheilla Ribeiro,6 out 2022 14:37

A Câmara Municipal da Praia afirmou hoje que utilizou a antiga lixeira municipal como espaço de vazamento transitório tendo em conta crise aguda no combate ao lixo e à limpeza da cidade que atingiram “situações insustentáveis”, nos últimos dois meses.

Num comunicado de imprensa divulgado hoje, a edilidade apontou que a crise do lixo se deve “à falta de investimentos” no sector do saneamento ao longo de 12 anos.

A CMP diz que ao invés de ser dotado de equipamentos e capacitação técnica para responder à demanda de uma cidade capital, o saneamento foi entregue a empresas privadas “que pouco sensibalidade têm para a satisfação social”.

Segundo justifica a câmara, a crise aguda é, acima de tudo, fruto do aumento da produção de lixo na cidade, mas também da insuficiência de meios materiais para recolha e tratamento de resíduos sólidos urbanos, nomeadamente camiões e outros equipamentos.

“Para resolver o problema, a Câmara Municipal optou por alugar viaturas privadas e utilizou a “ex-lixeira municipal” como espaço de vazamento transitório, enquanto estratégia de rentabilização do processo da recolha, por estar aqui perto, para, a partir dali, serem transportados pelos camiões com melhores condições ao aterro sanitário, em Ribeirão Chiqueiro, atividade que se realizou diariamente”, escreveu.

Neste sentido, a autarquia garante que a antiga lixeira continua encerrada, tendo sido utilizada, num momento contingência difícil, apenas como ponto de apoio no processo de saneamento e limpeza da cidade.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,6 out 2022 14:37

Editado porAndre Amaral  em  7 out 2022 18:40

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.