Governo assina acordo de financiamento com a Áustria para reforço da capacidade de dessalinização de água

PorSheilla Ribeiro,11 fev 2020 18:01

O governo assinou, hoje, um acordo de financiamento com a Áustria para o reforço de dessalinização de água em 5,5 milhões de euros. A central de dessalinização do Palmarejo passará a ter, com este investimento, uma capacidade de produção de 5 mil metros cúbicos de água por dia.

De acordo com o vice primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia este financiamento do Unicredit Bank Austria AG será pago em 20 anos e "sem juros".

“Um financiamento altamente concessional para que possamos edificar a cidade da Praia com uma dessalinizadora com uma capacidade de 5 mil metros cúbicos dia, que vai colocar a cidade da Praia com uma capacidade total de cerca de 20 mil metros cúbicos, dando uma folga para que possamos abastecer a cidade da Praia e toda a região de Santiago Sul com qualidade, regularidade e sem espaço para crises de tensão no ponto de vista da produção”, disse.

O país, continuou o governante, tem de procurar investir para dessalinizar água, utilizando as energias renováveis para que o custo da água “seja o mais baixo possível”. Isto porque ,”Cabo Verde é um país arquipelágico, muito vulnerável aos choques e alterações climáticas”.

“Nós temos que investir na transição energética, utilizando energias renováveis também, para produzirmos a água ao menor custo possível e deixar a água da nascente para a agricultura, para que também os agricultores possam ter água em quantidade e a um preço cada vez mais competitivo”, constatou.

Devido a “situação de necessidade” com que se depara a cidade da Praia, Olavo Correia garantiu que o projecto vai ser executado em cerca de 5 a 8 meses, para que se possa ter mais água na capital e libertar água da nascente para a agricultura.

Desta forma, conforme o vice Primeiro-ministro, o governo poderá continuar com a agenda de investimento ao nível da produção da água quer seja salobra, como também da água do mar dessalinizada para que haja “água suficiente” para o consumo humano, mas também para a produção ao nível da agricultura.

Para Olavo Correia, não se pode pensar em ter um país inclusivo e desenvolvido, como é o caso de Cabo Verde, sem que o problema do mundo rural seja resolvido.

“Nós temos que apostar no turismo sim, é muito importante, mas tem muita gente em Cabo Verde que vive do campo e no campo. Nós temos que ter uma solução sustentável de forma que a agricultura seja uma agricultura também de rendimento e que crie melhores condições de vida para as pessoas que vivem no campo e vivem do campo”, afirmou.

O governo pretende ainda estabelecer parcerias com a Áustria quer do ponto de vista institucional, mas também no sentido de criar mercado e oportunidades para investidores austríacos e também cabo-verdianos, de modo aproveitar o mercado dos dois países com vista no turismo.

O acordo foi assinado por Olavo Correia, em representação do governo e pela directora do Unicredit Bank Austria AG, Susanne Kunitz.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,11 fev 2020 18:01

Editado porSara Almeida  em  12 fev 2020 0:47

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.