“Os principais desafios têm a ver com a infraestruturação económica do município” - Nuias Silva

PorAntónio Monteiro,8 mai 2022 8:57

Nuias Silva,
Nuias Silva,Foto: Câmara Municipal de São Filipe)

Caiu no passado domingo o pano sobre as festas da Bandeira e de Nhô São Filipe na Ilha do Fogo. O edil, Nuias Silva, faz o balanço dessas concorridas festividades e anuncia as actividades da semana comemorativa do centenário da Cidade de São Filipe que decorre de 5 a 12 de Julho. A recente institucionalização do 1º de Fevereiro como Dia Nacional da Talaia Baxu, os principais desafios até o final do seu mandato com vista a transformar São Filipe num município atractivo e competitivo são outros tópicos da entrevista.

Primeiramente para parabenizá-lo pela institucionalização do Dia Nacional da Talaia Baxu. O que esta distinção significa para o seu município e para a ilha do Fogo no seu todo?

Primeiramente dizer-lhe que recebemos a notícia da institucionalização do 1º de Fevereiro como Dia Nacional da Talaia Baxu com enorme satisfação por ver consagrado um Dia para o género musical mais conhecido na Ilha do Fogo, mas também satisfação, por perceber que a partir de agora estão criadas as condições para uma candidatura da Talaia Baxu, ou como antigamente os nossos conterrâneos chamavam Trabessadu, a Património Imaterial Nacional. Eu penso que é uma questão que deve ter continuidade para que possamos, num curto período de espaço, catalogar todo este género musical nas suas mais variadas dimensões, preparando um dossiê para sua elevação e classificação como Património Imaterial Nacional. Daí que nós estamos muito satisfeitos e esperamos que as festas de Nhô São Filipe, ou as festas da Bandeira da Ilha do Fogo possam vir a merecer um trabalho de catalogação e de descrição daquilo que é a grandeza destas festas para também atingirem a classificação de Património Imaterial Nacional. Estamos contentes, estamos satisfeitos e parabenizo a todos aqueles que estiveram na aprovação do Projecto de Lei no Parlamento e está também de parabéns a Ilha do Fogo que a partir de agora tem um Dia Nacional para o género musical que definitivamente caracteriza esta ilha e é apreciada em todo o Cabo Verde, mas também na nossa vasta diáspora.

Como pretende potencializar no seu município a institucionalização do Dia Nacional da Talaia Baxu?

De facto, agora com a institucionalização do dia 1º de Fevereiro, como Dia Nascional da Talaia Baxu, vamos ver, em articulação com os municípios da ilha, como é que podemos celebrar este Dia no sentido de promover cada vez mais este género musical, os seus intérpretes e compositores através de homenagens, mas também podendo trabalhá-lo enquanto produto turístico da Ilha do Fogo que é muito atractivo por causa da sua peculiaridade, sonoridade e até do bom gosto daquilo que são as várias aplicações sobre este género musical. Daí que vamos, sim, preparar, provavelmente em articulação com os três municípios da Ilha, para comemorar este Dia, mas também para aproveitar, com este selo, podermos promover mais este género enquanto também um produto para os turistas.

As festas de Nhô São Filipe e da Bandeira já passaram, mas as actividades comemorativas do primeiro centenário da cidade ainda estão à porta.

Exactamente, nós terminamos agora as festas de Nhô São Filipe 2022, da Bandeira e do Santo Padroeiro do Município e da Ilha. Foi uma festa muito bem organizada que movimentou a ilha com milhares de pessoas. Penso que o balanço é extremamente positivo, não obstante terem ficado pequenos acertos que temos que fazer no projecto de concepção para que as festas continuem a ser cada vez mais grande. Eu penso que há aspectos que temos que melhorar, mas no cômputo geral foram umas festas muito boas e as pessoas saíram satisfeitas. Foi a primeira vez que se experimentou a concepção da parte do festival do Presídio, com poupanças significativas daquilo que é o erário público, num contexto de crise, para podermos investir em questões sociais mais pertinentes para o desenvolvimento da nossa sociedade e do nosso município. Nós vamos agora preparar o caderno de encargos para o lançamento do festival para o ano de 2023, obviamente introduzindo algumas experiências que nós adquirimos com este projecto de concepção pioneiro para que as festas continuem a ser uma festa de todos e para todos.
Relativamente ao Centenário da Cidade de São Filipe que se comemora no dia 12 de Julho, queremos ter uma semana dedicada à cidade, que decorre de 5 a 12 de Julho que é o dia da solenidade do centenário da elevação de São Filipe à categoria de cidade. Mas as comemorações continuarão ainda até o mês de Dezembro com várias actividades desportivas, culturais, recreativas e outras para dinamizar o ano de 2022 que nós designamos como o ano de São Filipe, Capital da Cultura e Capital dos grandes eventos no ano do seu centenário. Daí que estão todos convidados para também no mês de Julho, na Semana da Cidade, estarem aqui. Haverá várias actividades desportivas, recreativas e culturais para homenagear e abraçar a Cidade centenária de São Filipe.

Tem afirmado que quer transformar São Filipe num município atractivo e competitivo. Quais os principais desafios até o final do seu mandato?

De facto, a nossa visão é transformar São Filipe num município competitivo e atractivo. Para isso é fundamental políticas coerentes que visem atrair grandes eventos e transformar São Filipe em palco para o todo nacional e, porque não, para o mundo, e desta forma poder dinamizar a economia local, atrair investimentos, gerando externalidades e oportunidades para a juventude. Daí que os principais desafios são aqueles que têm a ver com a infraestruturação económica do município. O município carece de infraestruturas capazes de receber grandes eventos e nós estamos a trabalhar neste sentido. As obras que arrancamos da construção do Estádio Regional de São Filipe, um estádio moderno, certificado pela FIFA e capaz de receber grandes eventos desportivos e estágios aqui na ilha do Fogo e com isso gerar toda a economia à volta desses eventos. É uma obra que está projectada para doze meses e para o ano, por altura das festas de São Filipe, deveremos estar a inaugurar o estádio, caso todo o processo decorra na normalidade. Arrancamos, na semana que passou, a construção da primeira piscina municipal de Cabo Verde. Trata-se de uma infraestrutura que não está vocacionada apenas para a prática do desporto ligada à natação, mas também para desenvolver toda uma economia à volta da fisioterapia, recuperação de atletas e que deverá desenvolver-se como uma espécie de centro de medicina desportiva, englobando um ginásio, uma piscina e um pólo desportivo. O ginásio já está, o polidesportivo vai arrancar em finais de 2022/2023 e a piscina estará concluída até finais deste ano, início do próximo.

Requalificação do Centro Histórico

Estamos a falar também de toda a requalificação do Centro Histórico de São Filipe. São Filipe é também conhecida como a
Cidade dos Sobrados e a requalificação do Centro Histórico com um novo pavimento, com a introdução de asfalto na zona tampão da cidade, cria condições para não só melhorar qualidade de circulação das pessoas em São Filipe, como embeleza a nossa cidade, mas também cria oportunidades para os jovens poderem criar empresas de Tuk Tuk para passeios de turistas dentro da cidade e assim poder gerar oportunidade de surgimento de pequenas empresas de prestação de serviços turísticos na Cidade dos Sobrados, a partir da aplicação de um conceito que é a Rota dos Sobrados. Hoje em dia não é muito agradável caminhar em São Filipe por causa do desnível do piso, mas com a requalificação do Centro Histórico que se pretende esteja concluída em Setembro ou Outubro deste ano o cenário será outro. Daí que os vários investimentos que a Câmara, em parceria com o Governo faz no município servem para criar oportunidades e para criar atractividade.

Agronegócio

Temos também o desafio de investimentos ligados ao sector do agronegócio, pois a ilha do Fogo tem potencialidades vastíssimas na área da agricultura e na pecuária. Nós vamos participar agora numa grande feira em Fuerteventura, nas Canárias, onde vamos buscar protocolos para introdução de raças melhoradas no nosso sector da pecuária para que possamos ter maior capacidade de produção e com isso abastecer as nossas cooperativas com leite capaz de transformar a nossa fileira de queijos, iogurtes e derivados. Pata além disso, nós vamos conhecer a experiência deles na produção de pasto para os animais e atrair esse investimento para o nosso território municipal no sentido de sermos uma das ilhas mais competitivas no sector da pecuária nos próximos cinco anos. No sector da agricultura nós estamos a apoiar grandemente os agricultores, mas a nossa ideia é criar cooperativas produtoras em varias localidades capazes de transformar o nosso produto, agregando-o valor antes de sair da ilha para Praia, Sal, Boa Vista ou mesmo para a diáspora. No sector das pescas já iniciamos um processo de transformação deste sector para que haja maior capacidade de captura e consequentemente podermos pensar em atrair investimentos no sector da transformação. Adquirimos seis embarcações novas, modernas, totalmente equipadas, maiores das que os nossos pescadores estão habituados a utilizar para uma faina mais prolongada e distante da costa e com isso aumentar o rendimento das famílias e das pessoas que vivem à volta deste sector.

Desenvolver um turismo de experiências

Temos igualmente um desafio importante na estruturação do sector turístico a nível do município. Nós temos potencialidades para desenvolver o turismo religioso à volta da peregrinação à Nossa Senhora do Socorro, a 5 de Agosto, para além do turismo que queremos desenvolver ligado à natureza e às experiências. Nós não queremos ser como a ilha do Sal e da Boa Vista em matéria de turismo porque não temos as mesmas particularidades competitivas, mas temos também as nossas vantagens comparativas que, se bem trabalhadas, podem revelar-se autênticas vantagens competitivas e uma alternativa ou complementaridade ao turismo de sol e praia.

Que medidas e incentivos a Câmara de São Filipe tem tomado para atrair investimento emigrante?

A emigração e os nossos emigrantes são elementos da nossa política interna. Nós queremos atrair os nossos emigrantes, daí que vamos fazer uma visita neste Verão aos Estados Unidos da América com projectos concretos para atrair os nossos emigrantes ligados ao sector do turismo e da transformação agropecuária. Queremos que eles ajudem no desenvolvimento da Ilha do Fogo e de São Filipe, mas também queremos que eles tenham retorno dos seus investimentos. Daí que vamos criar medidas de incentivo para atrair o investimento emigrante. Estamos em diálogo com o governo e aproveitei a estadia do sr. primeiro-ministro na ilha do Fogo para lançar alguns desafios ligados à criação de incentivos para a recuperação do Centro Histórico de São Filipe. A maior parte dos proprietários e herdeiros dessas habitações são emigrantes e podem investir transformando essas habitações em pequenas unidades de charme, Gasthaus, conservando tudo aquilo que é património, mas dando também valência e vivacidade àquilo que é o Centro Histórico. Nós não queremos um Centro Histórico resguardado apenas no passado e morto, mas sim um Centro Histórico que aproveite o passado para ter vivacidade no presente e perspectivar desenvolvimentos no futuro. Os emigrantes são fundamentais neste aspecto e nós estamos em diálogo com o governo para se criar, a pedido nosso, mas com uma alta concordância do governo, incentivos para que esses investimentos possam ser vistos à luz do regime de utilidade turística visando a transformação desses sobrados em unidades de acolhimento e alojamento local. Para além disso, a Câmara está também a criar incentivos a nível do IUP e de algumas isenções para atrair esses investimentos. A partir da atracção desses investimentos e da criação de uma dinâmica económica, nós teremos condições de poder aportar melhor as questões sociais e as questões do desemprego através das oportunidades que se criam para os jovens.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1066 de 4 de Maio de 2022. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:António Monteiro,8 mai 2022 8:57

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  9 mai 2022 8:26

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.