Filmes sobre artesanato para estimular a criatividade

PorChissana Magalhães,14 mai 2018 12:05

É apresentada hoje, em Mindelo, a iniciativa Imagem e Ofícios, um programa do Centro Nacional de Artesanato e Design (CNAD) para estimular o processo criativo de artesãos, designers e outros criadores.

O programa, com duração prevista de seis meses, tem por base a exibição de documentários sobre artesanato e design para a comunidade de criadores, sobretudo artesãos e designers, como um contributo a um conhecimento mais alargado sobre o fazer artístico e criativo de outras origens e um estímulo ao seu processo criativo.

Duas vezes por semana, a comunidade artística poderá assistir a vídeos com informações sobre diferentes técnicas, artes e ofícios como, por exemplo, o artesanato criado no Brasil, aspectos de movimentos como o oriundo da escola de Design, Artes Plásticas e Arquitectura Bahaus ou o estilo arquitectónico e de artes decorativas Art Nouveau, muito em voga entre finais do séculoXIX e inícios do XX.

“A possibilidade desta partilha ser feita entre artesãos, designers, profissionais de arquitectura, do turismo e o Centro, pode beneficiar todas as partes, tanto na tomada de consciência das técnicas desenvolvidas localmente, como em oportunidades de negócio”, anuncia o CNAD que visa a criação de um sistema em rede, atendendo a condição arquipelágica do país. Assim, a expectativa é de fazer chegar a exibição destes vídeos a outras ilhas.

Segundo Irlando Delgado, director do CNAD, esta instituição iniciou há três anos um processo de reestruturação, que incluiu a remodelação do espaço físico do Centro, estando neste momento a serem finalizados os trâmites para “a aquisição de um estatuto jurídico que lhe permita uma actuação plena e alargada a todo o país”, inclusive para se fortalecer financeiramente.

Entretanto, com o redesenho do fórum URDI algumas medidas já estão em curso com base no caderno de encargos 2017-2020. Entre estas, irá proceder-se a um mapeamento, catalogação e inventário do artesanato nacional, das técnicas aos fazedores. Está também prevista a criação de laboratórios para experimentação, que deverão ter presença em todas as ilhas e a partir dos quais se irá investir na recuperação dos fazeres típicos de cada região, sobretudo aqueles em risco de cair em desuso.

A primeira sessão acontece hoje, pelas 18 horas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,14 mai 2018 12:05

Editado porAndre Amaral  em  14 mai 2018 12:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.