Vera Duarte regressa à poesia com “De Risos e Lágrimas”

PorChissana Magalhães,31 mai 2018 16:01

Vera Duarte
Vera Duarte(Inforpress)

Depois do romance “A Matriarca”, publicado no ano passado, o novo livro de Vera Duarte trá-la de volta ao mais familiar território da poesia. “De Risos e Lágrimas”, a ser apresentado na tarde de hoje, na cidade da Praia, é uma obra com múltiplas dimensões, sendo a memória uma delas.

“Eu costumo reivindicar direitos mas tenho também um dever de memória. Este é um livro onde exerço o dever da memória”. E este dever de memória é um dos cortes, ou melhor, a principal diferença que Vera Duarte diz encontrar nos poemas que reúne neste novo livro, quando comparados com aqueles que escrevia no passado.

“De Risos e Lágrimas” justifica o seu título ao trazer, conforme nos avança a autora, “reflexões sobre situações menos boas” mas também muita alegria, que a mesma diz caracterizar a “alma africana”.

Esta dicotomia acaba por ampliar-se com os poemas a agruparem em quatro partes. “São quatro livros em um. Divido os poemas em quatro rotas: Rota do Meu Ser, Rota do Meu Sangue, Rota das Lágrimas e Rota do Encantamento”.

Esta divisão quadripartida é uma tendência que a autora identificou nos seus livros e que acabam por ser uma espécie de marca.

“Há algo que acompanha este livro; uma vontade de algo que seja ética e esteticamente belo”, confessa a autora de “Amanhã Amadrugada”.

São oito anos desde a publicação de “Exercícios Poéticos” (2010), um percurso na poesia iniciado com o já citado “Amanhã Amadrugada” (1993) a que se seguiram “O Arquipélago da Paixão” (2001, prêmio Tchicaya U Tam’si de poesia africana) e “Preces e súplicas ou os cânticos da desesperança” (2005).

“Tenho estado mais voltada para a prosa”, admite ela que para além dos romances “A Candidata” (2003, Prémio Sonangol) e “ A Matriarca” tem publicado ensaios e crónicas que reuniu nas obras “Construindo a Utopia” e “A Palavra e os Dias”.

Entretanto, o seu regresso à publicação de poesia não tardará nada. Ainda este ano deverá ser dada à estampa uma antologia de poemas seus com o selo da Rosa de Porcelana Editora.

Novo livro de Vera Duarte
Novo livro de Vera Duarte

Voltando a este “De Risos e Lágrimas”, edição da Pedro Cardoso Livraria, Duarte ainda ressalta sobre o mesmo o facto de ser um livro de dedicatórias. São múltiplas, dirigidas a várias pessoas, entre as quais académicos brasileiros que têm se dedicado à literatura cabo-verdiana e a quem a autora diz muito dever.

As obras da escritora estão entre as mais estudadas em universidades brasileiras, particularmente na Universidade de São Paulo, onde lecciona e coordenada um curso sobre literatura cabo-verdiana Simone Caputo Gomes, hoje membro honorário da Academia Cabo-verdiana de Letras.

Vera Duarte Pina é formada em Direito, tendo sido a primeira mulher magistrada em Cabo Verde. A par da carreira literária foi presidente da Comissão Africana do Direito dos Homens e dos Povos, Presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e Cidadania de Cabo Verde e ministra da Educação e Ensino Superior de 2008 a 2010.

A apresentação de “De Risos e Lágrimas” caberá ao músico e escritor Kaká Barbosa e acontece na Pedro Cardoso Livraria ao final da tarde de hoje.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,31 mai 2018 16:01

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  1 jun 2018 8:49

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.