Documentário cabo-verdiano abre hoje Semana de África em Macau

PorExpresso das Ilhas,21 mai 2019 9:56

A curta-metragem “Hora di Bai”, da realizadora e produtora Samira Vera-Cruz, abre na tarde de hoje (21) a Semana de África que até dia 28 celebra a diversidade cultural dos países lusófonos do continente naquele território chinês. Integrada na Semana está a comemoração do Dia Internacional de África, celebrado a 25 de Maio.

Está a decorrer neste momento (são cerca de 18h30 em Macau) a abertura da Semana de África 2019, evento anualmente promovido pelas associações dos países de língua portuguesa naquele território da China.

Cabe ao documentário “Hora di Bai”, da cabo-verdiana Samira Vera-Cruz, as honras de abertura do evento, logo após uma conversa de apresentação dos convidados internacionais ao público.

“Hora di Bai” (2017) foi o projecto com o qual a jovem cineasta foi seleccionada para o programa de financiamento à produção no âmbito do 25 anos da cooperação PALOP, Timor Leste e União Europeia e que em 26 minutos mostra os rituais, as tradições e superstições à volta da morte e do pós-morte na ilha de Santiago.

Em conversa com o Expresso das Ilhas, instantes antes de participar na abertura do evento, Samira Vera-Cruz dizia-se “ansiosa e curiosa por saber a reacção das pessoas, dos cabo-verdianos que vivem cá e do público de cá”.

Hora di Bai (Hora do Adeus, em tradução livre para o Português), tem feito uma intensiva carreira internacional, tendo já passado por festivais de cinema em Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé, Timor, Madagáscar, Canadá, Estados Unidos, Bélgica e Polónia.

A realizadora diz-se grata “por ver reconhecido no estrangeiro todo o nosso esforço e sacrifício para fazer o que gostamos e dar a conhecer a nossa realidade.

“Tenho orgulho mas, mantenho os pés no chão com a noção de que o reconhecimento é um bónus com o qual não devo contar cegamente”, acrescenta.

Para além da cabo-verdiana, são convidados para esta edição da Semana de África em Macau o pintor da Guiné-Bissau Sidney Sequeira e a estilista e designer de moda e artesanato moçambicana Patrícia Vasco que de 22 a 26 de Maio exibem as suas criações numa exposição de pintura e artesanato na Galeria ArtGarden.

Samira Vera-Cruz e Patrícia Vasco vão estar também na Faculdade das Indústrias Criativas da Universidade de São José onde a primeira irá exibir Hora di Bai e palestrar sobre o “Desenvolvimento do Cinema em Cabo Verde” e o processo criativo para realizar projectos cinematográficos, mesmo quando não se tem financiamento, e a moçambicana vai realizar o workshop “Tecidos Africanos”.

Conforme o jornal Hoje Macau, ao longo de toda a semana vai decorrer um Ciclo de Cinema Africano na Fundação Rui Cunha, onde vão estar representadas películas de Angola, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. A festa continua ao ar livre, com o evento “Mãe África” no dia 26, na ilha de Taipa, onde haverá música, dança e pintura ao vivo. 

O encerramento será com um concerto solidário a favor das vítimas dos ciclones que recentemente destruíram zonas de Moçambique e provocaram centenas de mortos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,21 mai 2019 9:56

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 fev 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.