Produtores musicais : Uma profissão com mais-valia

PorDulcina Mendes,20 out 2019 8:02

Os tempos são outros, mas os produtores musicais continuam a ser importantes na vida dos artistas e músicos. Hoje em dia, temos cada vez mais produtores e maior número de trabalhos e de shows.

O produtor Augusto (Gugas) Veiga é uma personalidade respeitada no mundo da música. Já trabalhou com dezenas de artistas nacionais e é director do Atlântic Music Expo (AME). 

Gugas Veiga, como é conhecido, está nomeado na categoria Música, na 5ª Gala do Somos Cabo Verde que acontece esta sexta-feira, 18 de Outubro, juntamente com os artistas Dino D’Santiago e Cremilda Medina.

O júri da 5ª edição dos Somos Cabo Verde sublinhou que o produtor/agente Gugas Veiga cumpre os requisitos principalmente pelo seu o contributo à promoção da música cabo-verdiana. 

“Achamos justo este reconhecimento por ter tido um papel fundamental na carreira de muitos artistas consagrados e de ter dado oportunidade a artistas mais novos de participarem nos grandes festivais e divulgarem o seu trabalho”, acrescenta. 

Outro ponto importante, conforme o júri é o excelente trabalho realizado como director do Atlântic Music Expo (AME) nos anos 2018/2019. 

Ainda, em relação à nomeação de um produtor musical na categoria Música juntamente com os artistas Dino D’Santiago e Cremilda Medina, a directora executiva da Artemedia Margarida Conde disse numa entrevista ao Expresso das Ilhas que “de acordo com o regulamento na categoria Música não estamos a premiar só os artistas, mas sim a figura do ano na área da música que podem ser agentes e compositores”.

Quem é um produtor? 

Um produtor musical é aquele que trabalha com os artistas na gravação de discos e programação de shows. Cabo Verde tem ganhado nos últimos tempos vários produtores musicais, muitos graças à internet. A internet fez com que os custos de produção dos trabalhos discográficos diminuíssem, porque surgiu e tem surgido cada vez mais produtores musicais. 

Actualmente muitos artistas também produzem os seus próprios trabalhos. Gravam os seus trabalhos, programam e montam os seus próprios shows. 

Antes, os artistas que queria ter um trabalho referenciado, tinham que recorrer aos produtores musicais, mas actualmente muitos artistas preferem fazer os seus trabalhos sem recorrer a um produtor.

Antigamente, também tínhamos um número reduzido de produtores musicais no mercado. Isso implicava alguma demora na conclusão dos trabalhos. Os artistas tinham que esperar muito tempo pela disponibilidade dos produtores. Também, nem todas as pessoas procuravam esse profissional, por causa dos custos que eram elevados.

Hoje, facilmente consegue-se montar um estúdio em casa, basta ter um microfone e um computador. Temos alguns artistas de sucesso que também são produtores musicais, conseguem não só produzir os seus trabalhos como também produzem trabalho dos outros. 

Sobre o trabalho de produtor musical, falamos com alguns artistas para saber da importância desse profissional. 

Conforme o jovem artista Hilário Silva, um produtor musical é aquele que organiza várias ideias e faz com que elas juntas deem vida a uma sonoridade homogénea. 

“No meu caso, quando escrevo uma música nova não me preocupo muito com os detalhes mas sim com a essência, porque isso seria essencial para que os meus produtores entendam em que linha quero seguir”, explica. 

Já o músico e compositor Tibau Tavares é da opinião que hoje em dia há artistas que intendem de produção musical, e que por isso não precisam deste profissional. 

“No meu caso sou artista e produtor musical, ao mesmo tempo. Não preciso de arranjar produtor musical para o meu trabalho”, avança, dizendo que os produtores musicais são mais importantes para os intérpretes. 

Para Arlindo Évora, do grupo Cordas do Sol, um produtor musical é fundamental numa linha de produção. “Funciona como um árbitro numa disputa de futebol. Às vezes o produtor musical está para gerir as várias sensibilidades e estimular até ousadias dos diversos músicos e cantores que formam a equipa para execução da música”.

“O produtor musical gere até a própria engenharia da captação, edição, mistura e masterização. A importância de um produtor musical na vida de uma música é igual ao sol para uma planta”, frisa. 

Acrescenta ainda que há produtores que se auto-especializam em determinados géneros, estilos ou tendências. “E há outros que são versáteis em fusão, novas experiências e vão para além do padrão da rotina. Por isso, que viralizam várias cenas de épocas provenientes destes produtores “excêntricos” que quebram as práticas padronizadas aliadas a talentos abertos a várias tendências”.

Questionado se é possível um artista conseguir produzir o seu trabalho sem ter um produtor, Arlindo Évora sublinha que um músico pode ser um excelente produtor, conhece como dirigir e gerir as sensibilidades da sua equipa, mas quando se quer um profissionalismo mais elaborado, crítico e exigente, sem dúvidas, que prefere ter o seu produtor musical independente. 

Hilário Silva considera que é possível um artista trabalhar sem um produtor musical, mas reconhece que trabalhar sem um produtor musical é diferente de trabalhar com um produtor musical. “Sempre que ouvimos uma música, que não é harmonioso ou mesmo desorganizada, ou é por falta de um produtor musical ou porque o trabalho é de baixa qualidade”.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 933 de 16 de Outubro de 2019. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,20 out 2019 8:02

Editado porSara Almeida  em  6 jul 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.