Filme “Sodade” começa hoje a ser rodado em São Filipe

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,17 mar 2021 12:24

O filme de ficção ‘Sodade’, com realização e produção nacional, começa a ser rodado hoje na cidade de São Filipe, no Fogo. Guião foi escrito por Sara de Pina, que é também realizadora e actriz.

“Sodade”, segundo a escritora e realizadora Sara de Pina retrata a história de dois casais que se separam sem nunca deixarem de pensar no outro. “Um filme de amor, mas com drama pelo meio, já que os casais são originários de duas famílias que se odiavam devido a um acidente que ocorreu quando os seus pais ainda eram meninos, tendo um deles sido condenado a 20 anos de prisão sem que tivesse culpa”.

A produção está cargo de Saulo Montrond, da Green Studio, ele que, tal como Sara de Pina, é da ilha do Fogo.

O produtor Saulo Montrond disse que a Green Studio é uma produtora audiovisual com 15 anos no mercado, focado mais na produção televisiva, publicidade, marketing e comunicação, mas que com a experiência aposta agora na ficção, o que não foi possível antes por falta de condições.

Depois de ter conhecido Sara de Pina, que vive há 15 anos nos Estados Unidos da América, onde frequentou escola de cinema ‘New York Film Academy’ e com um livro lançado na plataforma digital Amazon, juntaram esforços para produzir um filme em Cabo Verde.

A produção era para acontecer no ano passado, mas a COVID-19 atrasou um pouco o plano e só agora, com “esforços extras” e apesar das restrições e limitações, decidiram avançar com a produção do filme que vai ser rodado na cidade de São Filipe.

O filme conta com actores nacionais com experiência, norte-americanos e figurantes locais, tendo sido realizado casting para recrutar o pessoal.

Conforme avançou, assim que terminar a produção, o filme já tem uma agência disponível para o colocar na plataforma digital Netflix.

A produção será uma mistura do crioulo e inglês, porque há personagens que só falam inglês (norte-americanos) e outros o crioulo, sendo que um dos personagens, que é filho de um emigrante da ilha com uma norte-americana branca, não fala o crioulo.

O filme é patrocinado pelo produtor Saulo Montrond e pela escritora e realizadora, Sara de Pina, a 100 por cento (%). Saulo Montrond explicou que não queriam perder mais tempo depois de toda a limitação que se está a viver, e os dois vão custear as despesas com as deslocações, alojamentos e alimentação, custo de produção.

Este indicou que estão a desenvolver contactos locais para mobilização de algum tipo de apoio dada a importância, qualidade e o sítio onde o filme será exibido.

Saulo Montrond garantiu que todos os equipamentos necessários para rodar o filme estão disponíveis, lembrando que o filme será rodado em alta definição, 4K, com câmara de cinema, equipamento de som, iluminação, tudo para ter qualidade internacional.

Sobre o elenco, a maioria dos actores/actrizes têm experiência e conhecimento porque já participaram de outros filmes.

“Este é o primeiro de vários filmes de ficção e séries que queremos lançar, é o pontapé de saída”, disse Saulo Montrond.

A rodagem deve demorar um mês e o palco central é a cidade de São Filipe.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,17 mar 2021 12:24

Editado porAndre Amaral  em  16 dez 2021 23:20

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.