Eventos cancelados e adiados

PorDulcina Mendes,29 dez 2021 12:44

Em virtude das medidas restritivas anunciadas pelo Governo, muitos eventos estão a ser cancelados e outros adiados para evitar o alastramento da COVID-19. Medidas anunciadas pelo Governo, vem na sequência do aumento do número de casos que têm surgido nos últimos dias no país.

O primeiro-ministro anunciou que a realização de espectáculos só é permitida mediante a apresentação obrigatória de teste RT-PCR ou de antigénio válido com resultado negativo, para além da obrigatória apresentação de certificado COVID de recuperação ou de vacinação com a segunda dose da vacina administrada.

Já para as actividades para as quais são exigidas a apresentação de testes e certificados COVID “só serão permitidas quando realizadas em espaços que pela sua localização permitem a efectiva delimitação do evento e o rigoroso controlo de entrada de participantes, de modo que se possa proceder à verificação do certificado COVID de vacinação e da declaração de teste negativo”.

Aos promotores e organizadores das actividades, o chefe do Governo informou que devem exigir a apresentação do certificado COVID de vacinação e de um teste negativo, bem como proceder à verificação da sua autenticidade, como condição de acesso aos espaços ou instalações, de participação e realização das actividades.

Com essas medidas anunciadas, alguns promotores e organizadores de eventos já cancelaram ou mesmo adiaram para uma outra data, como é o caso do Centro Cultural Português Pólo do Mindelo que adiou o concerto da cantora Ana Azevedo para o próximo ano. O concerto estava agendado para acontecer esta quarta-feira, 29, no ALAIM.

O restaurante Nice-Kriola, na cidade da Praia decidiu cancelar o show de Réveillon que contaria com a actuação do artista Kino Cabral.

Já em relação à festa de passagem de ano na Rua de Lisboa, em São Vicente, Ulisses Correia e Silva anunciou que estão proibidas.

“Estão proibidas quaisquer tipos de festas, em qualquer ponto do território nacional, na via pública, fora de espaços confinados onde possa haver controle de entrada e controle da verificação de testes ou certificados de vacinação. Não vai haver festas nas ruas, quer em São Vicente, quer em qualquer parte do território nacional”, declara.

E hoje, numa declaração à Inforpress, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves disse que concorda com a decisão do Governo sobre a situação sanitária no País, daí cancelar o tradicional baile na Rua de Lisboa, porque “a saúde em primeiro lugar”.

“E é no sentido de que todos temos que estar juntos para combatermos esta pandemia que a câmara tomou a decisão de cancelar as actividades previstas como o baile e o fogo-de-artifício”, reforçou Augusto Neves.

Mesmo assim, Augusto Neves disse que lamentar o ocorrido, porque “muitas pessoas estavam à espera dessa festa popular”, mas que “há mais anos” e “de certeza” que a autarquia irá “preparar-se melhor para os próximos anos”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,29 dez 2021 12:44

Editado porAndre Amaral  em  13 ago 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.