Alexandre Louis Deschapelles

PorAntónio Monteiro,27 jan 2019 10:13

Alexandre Louis Deschapelles
Alexandre Louis Deschapelles

​Há já alguns bons anos referimo-nos nesta coluna à idade de ouro do xadrez francês, quando Deschapelles, La Bourdonnais, Saint-Amant e Krieseritzty formavam o temível quaterto do Café de la Régence, aquela constelação de quatro brilhantes xadrezistas franceses que durante décadas espalharam terror e susto nos salões europeus.

É ao quarteto que ficamos a dever as mais bárbaras, ferozes, impetuosas, fascinantes e brilhantes partidas de todos os tempos. Cronologicamente o primeiro a entrar na arena foi Alexandre Louis Deschapelles(1780-1847), em muitos aspectos o percurssor e protótipo dos modernos Grandes Mestres.

Era arrogante, convencido, fanfarrão e um apaixanado pelo jogo de cartas e de azar. Além disso foi um herói. Filho de um marechal francês, na guerra contra a Prússia perdeu a mão direita e ficou gravemente ferido na cabeça. No princípio do século XIX gozava a frenologia de grande reputação e muitos adeptos desta pseudo-ciência especulavam se o traumatismo craneano de que foi vítima não teria afectado a parte do seu cérebro responsável pelo xadrez. “Cabe aos fisiólogos demostrar” escreveu em 1850 o jornalista inglês, George Walker “se a contusão que Deschapelles sofreu na cabeça não terá estimulado ao mais alto grau a sua fantasia, atributo sem o qual um génio é absultamente impensável”.

Deschapelles afirmava nunca ter-se ocupado da teoria do jogo; mais ainda, que nunca tinha ouvido falar do xadrez até o dia em que num passeio pelo Palais Royal deparou-se-lhe dois homens aprofundados num jogo que ele tomava conhecimento pela primeira vez. Durante duas horas seguiu atenciosamente o estranho e misterioso jogo. Logo após a partida desafiou o melhor dos dois, um tal Monsieur Bernard, para um match, no dia seguinte, no Café de la Régence. Deschapelles perdeu em poucos lances todas as partidas, mas insistiu numa revanche no próximo dia, pois a sua vontade de ganhar não ficava nada a dever aos futuros campeões mundiais Alekine ou Bobby Fischer. Bernard, sem saber como lhe acontecia, perdeu uma partida atrás da outra. Deschapelles resume num misto de prosápia e vanglória o histórico encontro.

Acabei por lhe oferecer dois pões ...

“Acabei por lhe oferecer dois pões e dois lances de vantagem... e ganhei. Desde esse esse dia não progredi mais no xadrez. Na minha experiência aprendende-se em três partidas tudo o que é possível aprender no xadrez.” É uma história bonita, mas é pena que ninguém lhe tenha dado crédito. Certo é que a despeito da sua extrema pompa, e da sua relativa simplicidade estratégica Deschapelles foi, durante muitos anos, o mais forte jogador da França e do mundo. Nos últimos anos da sua vida retirou-se do xadrez – por duas razões: primeiro porque surgiu uma nova geração de mestres contra os quais tinha poucas chances e Deschapelles não suportava perder; segundo, porque durante as guerras napoleónicas o mestre resolveu tornar-se agricultor. Um desses novos mestres despontados no firmamento escaquístico foi seu aluno La Bourdonnais (1795-1840) considerado o primeiro campeão mundial não oficial de 1821 até sua morte, em 1840.

A seguir trazemos uma partida típica de Deschapelles e também típica da época: os dois adversários avançam os peões sem nenhum plano pré-concebido, enquanto esperam pela sua chance. Aqui vence o francês, em apenas 24 lances, mas em outras partidas que encontrei no Chessgames, John Cochrane levou a melhor.


John Cochrane vs Alexandre Deschapelles

Posição após 4.c3. Os dois adversários avançam os peões sem nenhum plano pré-concebido

1. d4 e6 2. f4 d5 3. e5 c5 4. c3 Nc6 5. Nf3 cd4 6. cd4 Qb6 7. Nc3Bd7 8. a3 Nh6 9. h3 Nf5 10. Ne2 Be7 11. g4 Bh4 12. Nh4 Nh413. Kf2 O-O 14. Kg3 Ng6 15. b4 a5 16. Bd2 ab4 17. Bb4 Nb418. ab4 Qb4 19. Rb1 Ra3 20. Kh2 Qe7 21. Rb7 Qh4 22. Rd7Qf2 23. Bg2 Rh3 24. Kh3 Qh4#

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 895 de 23 de Janeiro de 2019.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:António Monteiro,27 jan 2019 10:13

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  28 jan 2019 10:13

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.