Mundial/Andebol 2021: Um caso de estudo da magnitude da nossa Diáspora

PorWilliam Vieira,23 set 2021 9:47

Este estudo tem por objetivo saber a relevância da Diáspora, através do fornecimento de atletas, no contexto das seleções nacionais das modalidades coletivas em fases finais de competições continentais e mundiais.

Em particular, o objeto de estudo será a seleção nacional cabo-verdiana de Andebol que realizou recentemente uma enorme proeza, ao estar presente pela primeira vez num Mundial da modalidade, sendo, de resto, a primeira modalidade coletiva a atingir tal feito no panorama do desporto nacional.

Diáspora

Diáspora pode ser definida como o deslocamento, forçado ou incitado de massas populacionais, tendo origem num determinado território para vários pontos de acolhimento distintos.

Ela tem este cunho histórico, sobretudo na abordagem da migração e colonização grega, no período da idade antiga e é também utilizado com muita frequência para tratar sobre a dispersão do povo hebreu ao longo da história antiga, idade média e moderna.

Delimitações, levantamento e recolha de informações

Para não tornar exaustivo, decidi delimitar o estudo, centralizando na seleção AA de Cabo Verde, na modalidade de Andebol, género masculino, recorrendo ao jornal desportivo estatístico Zerozero.pt, extraindo todos os dados necessários para a pesquisa.

1-Quadro de convocados para o Mundial de Andebol 2021, segundo zerozero.pt.

image

Fonte: Zerozero.pt/Autoria Própria.

- é a contagem do número de atletas selecionados para a fase final do Mundial de Andebol 2021.

Jogadores – são os nomes de cada atleta selecionados para a fase final.

Clubes em janeiro de 2021 – é um indicador que representa em que clube ou agremiação, representavam os jogadores selecionados.

País- é o território onde o clube do atleta é pertencente.

Formação Inicial – é o primeiro país de formação dos atletas convocados.

Análise de dados

  • 100% dos atletas convocados jogam na Europa;
  • 100% dos atletas convocados jogam na Diáspora;
  • 100% de atletas convocados jogam na Península Ibérica;
  • Nenhum atleta selecionado, atuava em clubes nacionais;
  • 64% dos convocados formaram inicialmente em Cabo Verde (nascidos em Cabo Verde);
  • 36% dos convocados formaram inicialmente em Portugal (nascidos em Portugal);
  • 36% dos atletas convocados têm a naturalidade portuguesa;
  • Portugal foi o principal fornecedor de atletas à seleção nacional, correspondendo a um total de 82%;
  • A Espanha é o responsável pelo remanescente, correspondendo 18% dos atletas convocados.
  • Ilações

Com este singelo estudo, demonstra abertamente o papel dos países de acolhimento da nossa emigração no desenvolvimento do desporto nacional.

Fica também notório que a força da seleção de andebol é adveniente dos campeonatos ibéricos, correspondente a Portugal e Espanha, curiosamente, onde existem comunidades cabo-verdianas.

Ainda que maior a parte dos atletas tiveram uma fase de formação inicial em Cabo Verde, a Diáspora serviu para lapidá-los e garantirem assim um trabalho no desporto.

Ainda, Portugal e Espanha são os campeonatos onde existem mais Tubarões Azuis da modalidade.

Com esta investigação, ficou percetível que a seleção nacional beneficia não só de atletas formados em Cabo Verde, como também favorece de jogadores filhos de pais cabo-verdianos na Diáspora.

Se sabe que os países de acolhimento da comunidade cabo-verdiana não apresentam apenas o registo de serem uma das grandes alavancas da economia nacional, com remessas de emigrantes, mas também o desporto contribuiu para boas performances da seleção nacional a nível individual e coletivo.

Inobstante, ela - a Diáspora - é o motor para a inserção de jovens talentos cabo-verdianos que nasceram em Cabo Verde ou em território de acolhimento dos emigrantes – neste caso, Portugal – ingressando assim no desporto profissional, em sociedades que apresentam as suas determinadas complexidades.

Sugestões

Por último, deixo a sugestão de que é essencial um planeamento estratégico desportivo para a Diáspora, com um maior engajamento do Estado, extraindo o máximo de proveito naquilo que é o reforço do país, através do capital humano e económico, em competições continentais e mundiais. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:William Vieira,23 set 2021 9:47

Editado porAndre Amaral  em  19 out 2021 21:19

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.