Capitães dos “Tubarões Azuis” querem fazer história nos Camarões

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2021 8:30

Os capitães Marco Soares e Stopira, dois dos mais veteranos da selecção de Cabo Verde de futebol, transmitiram ontem tarde à imprensa a “motivação dos Tubarões Azuis” em fazer história na sua terceira participação no Campeonato Africano das Nações.

No arranque dos trabalhos da primeira fase de preparação para Camarões 2021, prova a ser disputada de 09 de Janeiro a 06 de Fevereiro de 2022, o capitão Marco Soares disse que a equipa está com muita ansiedade para chegar à competição e que os jogadores estão determinados numa prestação que supera as de 2013 e 2015, sendo que na sua primeira participação Cabo Verde passou à segunda fase.

“Acima de tudo, queremos representar a nossa bandeira e deixar orgulhosos a todo o cabo-verdiano. O estado de espírito é de muita alegria, temos vindo a somar um conjunto de bons resultados e queremos transmitir esta alegria ao nosso povo”, frisou, ao mesmo tempo que manifestou a sua apreensão pela forma como os clubes pressionam a CAF para o adiamento do CAN.

“Acho que a CAF (Confederação Africana de Futebol) esteve muito bem em não ceder a pressões. Chegou a hora da África ser respeitada, porque o CAN é tão importante como o Campeonato Europeu e a Copa América. Por isso, há que ter mais respeito e penso que a CAF marcou a sua posição ao dar seguimento à prova”, desabafou.

Já o defesa Yanick Stopira, outro dos capitães dos Tubarões Azuis, partilha da opinião de Marcos Soares de que Cabo Verde quer fazer a sua melhor prova de sempre, consciente, entretanto, que vai ser uma “tarefa árdua”, argumentando que o CAN’2021 conta com grandes equipas, mas que o espírito dos convocados crioulos está bem alto.

À beira da sua segunda participação no CAN, Stopira disse que se sente orgulhoso desta caminhada e que o bom resultado realizado a nível nacional poderá fazer com que Cabo Verde atinja grandes patamares neste “CAN Especial”, ressaltando a sua total disponibilidade para entregar-se à selecção.

“Sinto-me orgulhoso em regressar ao Estádio da Várzea, onde iniciei a minha carreira futebolística e espero o ganhar grandes energias”, referiu o defensor, que considerou o grupo de Cabo Verde como sendo “equilibrado, difícil” e que vai ser encarado “olhos nos olhos, com todo o respeito para que Cabo Verde vença a poule.

Cabo Verde está inserido no Grupo A da 33.ª edição da Taça das Nações Africanas, prova que inicialmente estava marcada para 2021, tendo como adversários as selecções nacionais da Etiópia, da Burkina Faso e dos anfitriões dos Camarões.

A selecção cabo-verdiana realizou esta tarde o seu primeiro treino, no Estádio da Várzea, onde a equipa técnica contou com 17 dos 26 convocados para a “Operação Camarões”, sendo que Bubista só vai poder contar com o plantel completo a 05 de Janeiro.

Os guarda-redes Vozinha, Marcio da Rosa, Keven Ramos, os defesas Stopira, Roberto Lopes, Dylan Tavares, Steve Furtado, Jeffry Fortes, os médios Marco Soares, Nuno Borges, Nenass, Jamiro Monteiro e Patrick Andrade e os avançados Lisandro Semedo, Willis Furtado, Willy Semedo e Gilson Tavares são os convocados que já se apresentaram ao trabalho na Cidade da Praia.

O CAN’2021 realiza-se de 09 de Janeiro a 06 de Fevereiro do próximo ano, nos Camarões.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2021 8:30

Editado porAndre Amaral  em  16 jan 2022 23:21

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.