Ministro do Mar diz que Cabo Verde "não pode continuar a pagar avultadas quantias" para atrair eventos náuticos

PorAndre Amaral,18 jun 2022 10:10

Ministro do mar defende que Cabo Verde tem de desenvolver infraestruturas que tornem Cabo Verde como um ponto atractivo para grandes eventos na área dos desportos náuticos. Presidente do Instituto do Desporto e Juventude concorda com a posição do ministro e defende que é preciso mudar a percepção que se tem do desporto em Cabo Verde.

Abraão Vicente fez, esta sexta-feira, no Forum de Investimento que decorreu no Sal, uma apresentação sobre as oportunidades que a economia marítima pode representar para Cabo Verde.

No entanto, os desportos náuticos, onde Cabo Verde se tem tornado conhecido no panorama mundial não foram referidos.

"Os desportos náuticos não foram referidos, porque nós temos de criar um conjunto de infraestruturas para que eles tenham, de facto, essa alavancagem. Nós temos falado muito do Ocean Race e outros eventos, mas eu vejo isso apenas como árvores de uma floresta muito maior".

Reconhecendo que a "Ocean Race vai trazer muito movimento" a Cabo Verde, Abraão Vicente explica que o governo vai "fazer uma experiência com a sua chegada agora em Fevereiro. Mas temos aqui imensa potencialidade como a criação de novas marinas. Já há um mapeamento, houve um concurso público que foi lançado a que não houve adesão".

O titular da pasta do Mar defende que Cabo Verde tem, antes, "de criar infraestruturas, mas temos de nos aliar a parceiros que já conhecem o negócio para desenvolver esses desportos".

"É algo que temos de desenvolver não só a partir dos ministérios [do Mar e do Desporto], mas em parceria com grandes marcas internacionais", acrescentou.

Abraão Vicente defende que Cabo Verde "não pode continuar a pagar avultadas quantias, como temos estado a fazer, para atrair as marcas para Cabo Verde. Tem de ser o contrário. Nós temos que criar as infraestruturas para transformar Cabo Verde num ponto que essas grandes marcas não podem evitar. Nós temos de começçar a receber verbas para poder organizar essas regatas e essas provas internacionais. Creio que estamos no bom caminho".

"Temos muito trabalho para fazer", concluiu.

Fredric Mbassa, presidente do conselho directivo do Instituto do Desporto e Juventude (IDJ), concorda com a posição do ministro do Mar, mas defende uma maior aposta nos desportos náuticos.

"Neste momento precisamos de envolver todos os sectores para que percebam a visão" do governo. "Temos três campeões do mundo no kitesurf, temos um excelente atleta no windfoil, temos o Josh Angulo que foi campeão do mundo com a nossa bandeira no windsurf".

Para o presidente do IDJ é preciso mudar a percepção que se tem do desporto em Cabo Verde. "A nossa presença aqui [no Fórum de Investimento que decorreu até ontem no Sal] é tentar convencer os grandes players, promotores e investidores e as entidades públicas de que o desporto é também um sector de desenvolvimento do país".

Frederic Mbassa defende que é preciso que "a percepção e a realidade sejam concretizadas de forma clara com investimentos, com apresentação de projectos nestes grandes eventos. Desportos náuticos, desportos de aventura, desportos de salão têm um grande potencial em Cabo Verde"

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,18 jun 2022 10:10

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  25 jun 2022 19:20

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.