Governo reduz IVA na electricidade e água

PorAndre Amaral,20 set 2021 11:20

Medida foi anunciada esta manhã pelo Primeiro-ministro e entra em vigor a partir de 1 de Janeiro do próximo ano.

Depois de o Secretário de Estado das Finanças, Alcindo Mota, ter justificado a actualização dos preços da electricidade com o aumento generalizado dos preços dos combustíveis no mercado internacional, o Primeiro-minstro, Ulisses Correia e Silva, anunciou que, a partir de 1 de Janeiro de 2022, o IVA sobre a electricidade vai baixar de 15% para 8%.

Em conferência de imprensa, hoje no Palácio do Governo, Ulisses Correia e Silva anunciou um conjunto de medidas que têm como objectivo diminuir o impacto que a actualização feita pela ARME vai ter nas finanças das famílias e das empresas.

Assim, anunciou o Primeiro-ministro, o IVA a ser cobrado em cada factura de electricidade e água vai ser reduzido, a partir de Janeiro, de 15% para 8%. "Esta medida com impacto sobre as tarifas, constará do Orçamento do Estado de 2022 que será remetido à Assembleia Nacional" e vai significar, acrescentou, "uma redução de cerca de 600 mil contos nos impostos cobrados pelo Estado".

Outra medida anunciada é a do aumento da tarifa social de energia que passará de 30% para 50%. "Assim, as famílias que beneficiam de tarifa social vão passar a pagar menos do que pagam actualmente. Protegemos assim os rendimentos das famílias mais pobres", apontou o Primeiro-ministro.

As outras medidas anunciadas por Ulisses Correia e Silva passam pela majoração dos custos de electricidade e água para as empresas, reforço dos incentivos a ligações domiciliárias de água, electricidade e esgoto e investimento, através do Fundo do Ambiente, no acesso domiciliário à água, casas de banho, redes de esgotos e fossas sépticas.

"São medidas que protegem os rendimentos das famílias, aumentam a inclusão energética e de água e reduzem os custos de factores nas empresas", concluiu o Primeiro-ministro que remeteu para a ARME o estabelecimento dos novos preços da electricidade e água antes da entrada em vigor destas medidas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,20 set 2021 11:20

Editado porAndre Amaral  em  19 out 2021 12:19

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.