​Escola do Mar garante ofertas formativas descentralizadas

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,3 dez 2021 14:02

2

A Escola do Mar explica que a instalação do pólo da instituição em São Miguel, para servir Santiago, insere-se num programa em conjunto com os outros centros de formação profissional, e visa dar resposta à procura que é maior no norte da ilha, que também é a região com a maior comunidade piscatória.

As explicações, dadas hoje em entrevista à Rádio Morabeza, por Ivan Bettencourt, administrador executivo da Escola do Mar, surgem na sequência da posição da Associação para o Desenvolvimento da Praia (Pró Praia), que esta quinta-feira, 2, disse, também à Morabeza, que o pólo da Escola do Mar em Santiago, inaugurado na última quarta-feira, é exíguo para as exigências do Sul do país.

O responsável esclarece que a escolha de São Miguel tem a ver com o facto de ser o único município na ilha de Santiago que não dispõe de uma representação do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

“Por Calheta não ter um centro do IEFP, optámos por abrir o pólo onde, conjuntamente, podemos desenvolver tudo para a ilha de Santiago, usando também os recursos do próprio IEFP nos outros municípios e pontos da ilha de Santiago”, refere.

“A Escola do Mar é vocacionada para os cursos de formação profissional. Por isso, não podemos estar dentro, por exemplo, como a Pró Praia diz, do campus da Universidade de Cabo Verde. Fazemos parte do Campus do Mar. Quem faz a parte superior é a UTA”, explica.

Ivan Bettencourt garante que o pólo da Escola do Mar na ilha de Santiago já está a funcionar. Neste arranque, a oferta formativa inclui cursos de transformação de pescado, reparação e manutenção de motores de popa, cozinheiros de navio, carpintaria náutica, marinheiro pescador e guia de mergulho náutico, “de um leque de quase 80 formações que podem ser apresentadas de acordo com a necessidade e vocação da ilha”.

O responsável afirma que a Escola do Mar, com sede em São Vicente, está em processo de implementação, mas as acções formativas estão a ser descentralizadas em parceria com o IEFP, Escola de Hotelaria e Turismo e os municípios.

“Pela primeira vez, é descentralizada de São Vicente e vai estar nas outras ilhas. Nós vamos abrir, entre os meses de fevereiro, o pólo de São Nicolau, exactamente para podermos descentralizar as nossas acções formativas. Também durante o mês de dezembro vamos dar formações no Maio, em São Nicolau, e demos no mês passado em Santo Antão, em São Vicente”, aponta.

O administrador executivo da Escola do Mar afirma que a instituição não pode estar a abrir “grandes centros”, mas garante que está a investir para, desde São Vicente, dar início em Janeiro a cursos online, utilizando simuladores.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,3 dez 2021 14:02

Editado porAndre Amaral  em  16 jan 2022 8:19

2

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.