​“A Escola do Mar vai suprir uma grande lacuna e ajudar o país a reduzir o desemprego” – José Cabral

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,19 ago 2021 18:58

José Cabral, Paulo Veiga, Liliane Pimenta e Ivan Bettencourt
José Cabral, Paulo Veiga, Liliane Pimenta e Ivan Bettencourt

O novo presidente do Conselho de Administração da Escola do Mar (EMAR) considera que a instituição vai suprir a escassez de marítimos e ajudar o país a reduzir o desemprego, desde que tenha os recursos necessários. José Cabral falava hoje aos jornalistas, em São Vicente, à margem da cerimónia de posse dos novos membros do Conselho de Administração da EMAR.

O responsável diz que é notória a escassez de profissionais para o mar, apesar de ser uma área “com emprego garantido”. Por isso, aponta a formação profissional nas mais diversas áreas como um dos desafios da Escola do Mar.

“O desafio é formar pessoas para o mar. Temos um défice de marítimos em várias áreas, nomeadamente motoristas, mestres e até de cozinheiros. Ontem recebi uma queixa de um armador que perdeu o seu motorista e cozinheiro para outro. Ou seja, há um mercado com emprego garantido para muita gente. Uma agência que trabalha com barcos holandeses já esteve em Cabo Verde a tentar formar pessoas para levar para a Holanda. Queriam 20 profissionais de uma assentada. Há dias, durante uma reunião que tive com o presidente do Governo dos Açores e com todos os armadores da região, pediram encarecidamente profissionais para os Açores”, aponta.

“A Escola do Mar vai suprir uma grande lacuna e ajudar o país a reduzir o desemprego, sobretudo o desemprego jovem, se tiver recursos para cumprir a sua missão”, acredita.

Outro desafio passa pela reconversão de pescadores, apostando na formação.

“Temos um projecto em curso de iniciativa de pesca costeira que já nos disse que Cabo Verde tem pescadores e embarcações de pesca tradicional a mais, relativamente ao stock existente. Então temos que tirar os pescadores e mergulhadores do mar e temos que arranjar alternativas. Temos uma saída que é o turismo no espaço costeiro e marítimo, arqueologia subaquática, ecoturismo. Por essa via garantimos aos pescadores uma forma de subsistência e de libertar recursos que já estão sobre-explorados nas costas”, diz.

O novo PCA da Escola do Mar refere, por exemplo, que a construção do Terminal de Cruzeiros exigirá profissionais para “cuidarem de multidões”, condução de embarcações de recreio e segurança básica. Lembra que consta do plano de negócios da Escola do Mar o preenchimento dessas lacunas com profissionais marítimos, para bunkering, construção naval, náutica de recreio, aquacultura e pesca, logística, transporte, mestrança e marinharia, turismo costeiro e marítimo e promoção de literacia dos oceanos.

Governo garante apoio para ultrapassar desafios

A cerimónia de posse dos novos membros do Conselho de Administração da Escola do Mar foi presidida pelo Ministro do Mar, Paulo Veiga. Durante o seu discurso, o governante garantiu o apoio do executivo para o sucesso do desempenho profissional da nova equipa, certo de que "Cabo Verde será recompensado com os resultados que a formação contínua de recursos humanos ligados ao mar terá no contexto da economia global”.

“Algumas destas formações, após a identificação das carências mais prementes já decorreram, o que representa que a aposta na formação é o caminho certo e que dará mais frutos no futuro. Compete a este Conselho de Administração, em coordenação com outras instituições, a criação de todas as condições para dotar os sectores dos transportes marítimos e atividades portuárias, das pescas e da aquacultura, da indústria transformadora, da construção naval, das actividades marítimo-turísticas e recreio náutico, da área da segurança e sobrevivência no mar dirigidas às comunidades piscatórias, entre outras, de recursos humanos capacitados e competitivos internacionalmente”, afirma.

O novo Conselho de Administração da Escola do Mar é constituído pelo presidente José Cabral e pelos administradores executivos Ivan Bettencourt e Liliane Pimenta.

A EMAR tem a sede em Mindelo, um polo em Santiago e exerce a sua atividade em todo o território nacional. Tem como missão promover a difusão do conhecimento e o desenvolvimento de competências para o exercício de atividades profissionais de excelência no domínio do mar e da economia marítima e afins.

A Escola do Mar, como parte integrante do Campus do Mar, está vocacionada para o ensino técnico-profissional com o intuito de formar técnicos capacitados nos domínios do mar, desde as pescas, transportes marítimos, gestão portuária, construção e reparação naval, entre outros.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,19 ago 2021 18:58

Editado porSara Almeida  em  30 mai 2022 23:21

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.