​Ministro das Comunidades abriu Expomar e destacou importância dos recursos oceânicos

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,30 set 2022 10:39

O ministro das Comunidades destaca a importância do mar para o desenvolvimento e diversificação da economia do arquipélago. Jorge Santos, que presidiu esta quinta-feira, em São Vicente, à abertura da IX edição da Expomar, recordou a relevância dos recursos oceânicos na economia global.

O certame, que regressa depois de três anos, devido à crise pandémica provocada pela covid-19, foca-se nos “desafios do turismo náutico na Macaronésia”.

“Somos um país de mar, só que habituamos a viver de costas voltadas para o mar e é o momento de transição para a economia azul. As oportunidades aparecem agora, temos que voltar para as oportunidades do mar, dizer que a nossa retoma económica pós-Covid e agora com essa vil invasão da Rússia à Ucrânia, com as consequências que nós conhecemos, a retoma tem que voltar também para o mar, a economia azul tem muito a dar e equilibra principalmente na auto-suficiência alimentar”, afirma.

Segundo o governante, ao desenvolver estratégias sustentáveis para promover a economia azul, “o país estará a criar condições para impulsionar o crescimento económico, a criação de emprego e redução da pobreza, para além de consolidar os indicadores de competitividade”.

Jorge Santos chama a atenção para a necessidade do desenvolvimento de negócios em áreas pouco exploradas, nomeadamente a produção e desenvolvimento de energias renováveis.

“A nível das energias renováveis, e vendo a crise energética que o mundo está a viver, verificamos que as nossas ilhas, o nosso Atlântico médio e o nosso Atlântico são uma fonte inesgotável de oportunidades para produção energética, principalmente quando se fala da produção do hidrogénio verde, porque temos boa temperatura da água do mar, temos um bom sol, um bom vento e a hidrólise da água para produção do hidrogénio como fonte de energia para o país, mas também para o mundo. Aqui reside com certeza umas de grandes oportunidades de negócio", refere.

Jorge Santos recorda a problemática da poluição dos oceanos e das alterações climáticas, sublinhando que toda a estratégia de desenvolvimento ancorada na economia azul deve ter por base a “sustentabilidade e preservação da biodiversidade”.

 A IX edição da Feira das Actividades Económicas Ligadas ao Mar, que arrancou esta quinta-feira, tem como palco o centro de pequenas encomendas, nas instalações da Enapor, em São Vicente. A Expomar 2022 conta com 50 stands, de expositores nacionais e estrangeiros, entre eles Açores, Canárias e Madeira.

A presidente executiva da FIC, Angélica Fortes, sublinhou a importância da localização geográfica São Vicente como uma mais valia competitiva.

“Manter esta vocação oceânica é uma acção tendente a diversificar as valências nacionais pagas em moedas externas, trazer outras componentes para o PIB, cujo actual monolitismo de índole turística provou, com a recente pandemia, a sua grande vulnerabilidade. A Expomar visa manter vivo e eterno o casamento de São Vicente com o mar”.

À semelhança de edições anteriores, a feira integra três componentes, sendo eles exposição/mostra de produtos, serviços e tecnologias com aplicação ao mar, encontros de negócios.

Para hoje está agendada uma conferência Internacional que deverá reunir especialistas de Açores, Cabo Verde, Canárias e Madeira, para debater, precisamente, os “desafios do turismo náutico na macaronésia”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,30 set 2022 10:39

Editado porSara Almeida  em  5 fev 2023 23:27

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.