Edição 859 – 16 de Maio

PorExpresso das Ilhas,16 mai 2018 6:50

Nesta edição, o Expresso das Ilhas dá destaque à entrevista com Óscar Santos: Há 18 anos que a Praia espera pelo Estatuto Especial.

Com a instituição do Dia do Município, Praia passa a contar com dois feriados municipais: o Dia do Município que se celebra tradicionalmente a 19 de Maio e o Dia da Cidade que doravante será assinalado a 29 de Abril. Para ligar as duas datas, a Câmara Municipal vem organizando desde 28 de Abril até 30 de Maio várias actividades culturais e desportivas. Mas também tem havido momentos de reflexão sobre o caminho que a Cidade da Praia tem trilhado nos últimos 160 anos. Nesta entrevista Óscar Santos lança um olhar sobre o longo percurso desta cidade, faz o balanço da sua gestão camarária de quase dois anos e prespectiva os desafios para os próximos dez anos de uma cidade que está a crescer a um ritmo acelerado e alberga neste momento perto de 170 mil habitantes, o que a coloca como o maior centro urbano de Cabo Verde.

Também neste número, 20 anos do acordo cambial: Duas décadas de estabilidade para a moeda cabo-verdiana. A estabilidade da moeda ou a preservação do valor da moeda constituem factores-chave para o desenvolvimento de um país. As autoridades monetárias do mundo não são indiferentes a essa realidade e é hoje aceite por todos que o objectivo primordial dos bancos centrais deve ser a preservação do valor da moeda. No final do século passado, passou-se a medir a credibilidade das políticas económicas implementadas via estabilidade da moeda, o que foi particularmente importante para as economias emergentes ou em transição. As autoridades monetárias desenvolveram um leque de ferramentas que permitiam atingir os objectivos de estabilidade. Sobre os Governos recai a tarefa de escolher qual o melhor caminho para a concretização da estabilidade de preços. Esta pode ser monetária ou cambial. No caso de Cabo Verde, optou-se por uma âncora cambial, num contexto de paridade fixa entre o escudo cabo-verdiano e o euro.

Mapeamento Colaborativo: Para que os bairros da cidade tenham uma palavra a dizer na sua governação.Um dos bairros da Cidade da Praia mais afectados pela pobreza, Safende tinha segundo os dados do Censo de 2000 (INE) 4235 residentes, uma taxa de desemprego de 14.7% e apenas 25.3% de população alfabetizada. Passados quase 20 anos, os números hoje são outros e a eles não será alheio o trabalho que associações comunitárias como Espaço Aberto Safende, Safende Tudo Hora e a Associação Comunitária Amigos de Safende vêm desenvolvendo. É este bairro da zona norte da cidade que foi escolhido para acolher o piloto do projecto MAPAurbe, uma ferramenta de auto-governação que parte de um processo colaborativo de mapeamento urbano.

Concurso de ideias: Tornar a Praia uma cidade inteligente até 2025. A necessidade de se criar uma cidade inteligente é algo que se tem vindo a tornar cada vez real. Estudos da ONU apontam para que actualmente mais de metade da população mundial vive nas cidades e a previsão é que esse número continue a aumentar. A ONU estima que em 2050 cerca de 70% da população mundial viva em centros urbanos. E é aqui que se insere este concurso de ideias promovido pelo grupo Loide Engenharia, pela AJEC e pela autarquia da capital. O concurso, apesar de só agora ter sido apresentado, foi lançado no mês passado, durante o evento CVNext, e como referiu Loide Monteiro, tem como objectivo levar os participantes a imaginar que cidade querem ter até 2025.

Parlamento: Descentralização e Diáspora vão marcar a Plenária de Maio. A Assembleia Nacional volta a reunir-se em Sessão Ordinária mensal, que decorre de 21 a 25 de Maio. Em debate vão estar os desafios e perspectivas da Descentralização, tema solicitado pelo grupo parlamentar do MpD. Já a habitual interpelação ao governo versa este mês, a pedido do PAICV, sobre a Diáspora.

Na cultura, Novos contos de Dina Salústio são sobre a modernidade e a liberdade. Chama-se “Filhos de Deus” e é o novo livro de contos de Dina Salústio, a ser apresentado esta quinta-feira na Biblioteca Nacional. Trinta e cinco contos que a autora diz serem sobre Cabo Verde e muito virados para os jovens.

No interior, a opinião de Ondina Ferreira, Sá da Bandeira – Um nome que a capital do país devia (re)lembrar; de César Monteiro, Hermano Almeida: o percurso de uma vida marcada pela música; de Manuel Brito-Semedo, Oh-na-mar; e de Adriana Carvalho, A internacionalização precoce do ensino superior.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,16 mai 2018 6:50

Editado porDulcina Mendes  em  17 mai 2018 6:47

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site