ONU alerta para efeitos “irreversíveis” das alterações climáticas. Temperatura global pode subir mais de 1,5ºC nos próximos 20 anos 

PorExpresso das Ilhas,14 ago 2021 13:45

Num dos relatórios mais duros de sempre, um painel da ONU conclui que a temperatura pode subir além do limite de 1,5ºC se nada for feito. Na Europa, temperaturas vão subir a ritmo superior à média mundial.

Enquanto o mundo assiste às imagens captadas em Itália e na Grécia de violentos fogos, que ameaçam casas e florestas, um painel da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou um relatório que sobe o tom quanto a um alerta urgente: a janela de oportunidade para evitar catástrofes como as que já se têm registado está a fechar-se mais rapidamente. Segundo o observador.pt, algumas das mudanças são agora já inevitáveis e “irreversíveis” e, na Europa, as temperaturas vão subir a um ritmo superior à média mundial.

O relatório, da autoria do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, da ONU, citado pela mesma fonte, conclui que o planeta aqueceu mais 1,1ºC face aos níveis pré-industriais (de 1850 a 1900), arriscando aproximar-se ou ultrapassar os 1,5ºC de aumento nos próximos 20 anos (o limite que os líderes mundiais definiram, no Acordo climático de Paris, que não deveria ser pisado). A tendência só pode alterar-se caso os países cortem nas emissões de gases com efeito de estufa e diminuam os níveis de dióxido de carbono na atmosfera.

O documento conclui que é “inequívoco” o papel do ser humano na crise climática, nomeadamente no aumento do nível médio das águas do mar, no degelo, nas ondas de calor, secas e cheias. E confirma que as alterações já estão em curso, algumas das quais são irreversíveis. “Não temos mais nenhum ano para evitar as alterações climáticas perigosas, porque estão aqui”, disse Michael E. Mann, o autor principal do relatório, em declarações à CNN.

Os níveis de emissões de gases com efeito de estufa têm estado a subir e a contribuir para o aumento da temperatura global. Mesmo no cenário mais otimista, em que as emissões começam a cair expressivamente hoje e são reduzidas a zero em 2050, a temperatura irá, ainda assim, chegar a um pico de 1,5 ºC antes de começar a cair. Mas mesmo que consiga limitar esse aumento, há impactos de longo prazo que se tornarão “irreversíveis”, como o aumento do nível das águas ou o degelo no Ártico.

A temperatura global subirá 2,7 graus em 2100

Michael Byrne, investigador na Universidade de Oxford, diz à CNN que o que o relatório tem de inovador é a ideia de que “os efeitos do aquecimento global já não são tema de um futuro distante nem apenas em cantos remotos do mundo”.

A temperatura global subirá 2,7 graus em 2100, se se mantiver o actual ritmo de emissões de gases com efeito de estufa, alerta ainda o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas.

As temperaturas subirão em toda a Europa a um ritmo superior ao da média mundial, independentemente dos futuros níveis de aquecimento global, constata o IPCC.

Os autores do estudo antecipam ainda que as mudanças continuem após 2100 e que os fenómenos extremos do nível do mar sejam mais frequentes e mais intensos, provocando mais inundações costeiras e o recuo das costas arenosas.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1028 de 11 de Agosto de 2021. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,14 ago 2021 13:45

Editado porDulcina Mendes  em  18 set 2021 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.