Novo fenómeno natural ameaça a Terra: “chuva de eletrões” super rápida

PorExpresso das Ilhas,27 abr 2022 8:50

Estes “aguaceiros electrónicos”, que podem afectar os satélites e as viagens espaciais, são causados por ondas eletromagnéticas, esclarecem os cientistas.

Investigadores da Universidade da Califórnia (UCLA) descobriram uma nova fonte de eletrões super-rápidos que chovem na Terra.

O fenómeno, que é uma das causas para a colorida aurora boreal, apresenta perigos para satélites, naves espaciais e astronautas, segundo explicam, num novo estudo, investigadores da UCLA.

De acordo com o estudo, citado pelo site zap.aeiou.pt, os observadores observaram uma inesperada e rápida “precipitação de eletrões“,— muito mais intensa do que as chuvas de eletrões até agora conhecidas.

As observações foram feitas a partir da órbita terrestre baixa, com a ajuda de dois microsatélites da missão Electron Losses and Fields investigation (ELFIN) — construídos e operados no campus da UCLA por estudantes de graduação e pós-graduação, guiados por uma equipa de mentores.

Combinando os dados ELFIN com observações mais distantes da nave espacial THEMIS da NASA, os cientistas determinaram que os súbitos “aguaceiros eletrónicos” foram causados por Ondas Whistler (“ondas de assobio”) — um tipo de onda eletromagnética que ondula através do plasma no Espaço, e afecta os eletrões na magnetosfera da Terra, causando o seu “derrame” para a atmosfera.

A investigação, publicada a 25 de março na Nature Communications, mostra que as Ondas Whistler são responsáveis por muito mais chuvas de eletrões do que as teorias actuais e modelos meteorológicos espaciais mostravam.

De acordo com Xiaojia Zhang, autora principal do estudo e investigadora na UCLA, “os satélites do ELFIN são os primeiros a medir estes eletrões super-rápidos”.

A especialista acrescenta ainda que a missão tem a vantagem de estar próxima à cadeia de eventos, o que lhes permite compreenderem melhor o fenómeno.

No centro dessa cadeia de eventos está o ambiente espacial próximo da Terra, cheio de partículas carregadas que orbitam em anéis gigantescos à volta do planeta, chamada Cintura de Radiação de Van Allen.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1064 de 20 de Abril de 2022. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,27 abr 2022 8:50

Editado porClaudia Sofia Mota  em  19 mai 2022 5:19

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.