Cabo Verde é segundo melhor ecossistema para start-up tecnológicas da CEDEAO

PorSheilla Ribeiro,31 mai 2022 17:08

Cabo Verde sobe sete posições no ranking mundial de Ecossistema de Inovação da StartupBlink, ocupando, em 2022, a posição 80 a nível mundial e o segundo melhor da CEDEAO. Em 2020, o país entrou no ranking dos 100 melhores ecossistemas para startups de base tecnológica, do mundo.

“Antes de 2019, não estávamos nesta lista. Em 2020, entrámos orgulhosamente, pela primeira vez, no top 100 do StartupBlink, que avalia os melhores ecossistemas globais de startups de base tecnológica”, afirma o Secretário de Estado da Economia Digital, Pedro Lopes, citado num comunicado do governo.

Na nota, o governo reafirma o propósito de criar uma economia transformada e digitalizada e posicionar o país como um hub de prestação de serviços digitais de excelência, para o mercado regional.

"A partir do momento que entrámos no ranking, prometemos trabalhar, arduamente, para nos mantermos no top 100 e subir posições, e a verdade é que, em 3 anos, subimos sempre”, reforçou o governante.

Para Pedro Lopes, este posicionamento é o reconhecimento de uma aposta bem clara, do actual governo, em políticas públicas que dão cada vez mais condições para os jovens se formarem e empreenderem no digital em Cabo Verde.

“É, no entanto, importante reconhecer que esta subida é também o reconhecimento das nossas startups e do talento de quem empreende no digital em Cabo Verde. Este reconhecimento é da comunidade”, afirmou.

Em três anos foram lançados programas direccionados ao empreendedorismo de base tecnológica como o “Kôde Verde”, o primeiro programa de formação profissional em programação; a Bolsa Cabo Verde Digital, o primeiro programa de pré-incubação de projectos de base tecnológica de Cabo Verde; o GoGlobal, que dá às startups, a possibilidade de estar presentes em eventos internacionais.

O governo refere ainda programas de aumento da literacia digital e fomento do network, criação de condições estruturais para o desenvolvimento do ecossistema digital no país, como, a facilitação do acesso ao crédito para jovens, com taxas de juro de 1,75% e garantias de até 80%, a finalização da construção do parque tecnológico em São Vicente e Santiago e, também, o reforço da conectividade, com o investimento no Cabo EllaLink, estando já em vista a preparação de um enquadramento legal para definir uma taxa social para a internet, para que o digital funcione como uma verdadeira ferramenta de escala social.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,31 mai 2022 17:08

Editado porAndre Amaral  em  2 jun 2022 8:14

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.