Palestinianos condenam intenção de Bolsonaro de transferir embaixada

PorExpresso das Ilhas, Lusa,2 nov 2018 16:26

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro

Os palestinianos condenaram hoje a intenção do Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, de mudar a embaixada brasileira em Israel de Telavive para Jerusalém, considerando a medida "ilegal".

"Trata-se de uma medida provocatória, que é ilegal à luz do direito internacional e que não pretende mais do que desestabilizar a região", declarou à agência France-Presse (AFP) Hanane Achraoui, um alto responsável da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

A questão da mudança de embaixadas em Israel é particularmente sensível.

O Estado hebreu considerou a cidade de Jerusalém a sua capital, enquanto os palestinianos aspiram a fazer de Jerusalém a capital do seu futuro Estado.

Israel ocupa Jerusalém desde a guerra de 1967 e procedeu à sua anexação, nunca reconhecida pela comunidade internacional.

Para a comunidade internacional, o estatuto da cidade de Jerusalém deve ser negociado pelas duas partes e as embaixadas não devem instalar-se ali enquanto não houver um acordo.

Porém, o Presidente norte-americano, Donald Trump rompeu, em Dezembro de 2017, com as decisões da diplomacia dos EUA, ao reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

A embaixada dos Estados Unidos foi transferida de Telavive para Jerusalém a 14 de maio.

"É verdadeiramente perceptível que o Brasil faz parte da aliança negativa contra o Direito internacional", afirmou Achraoui.

O Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, escreveu, esta quinta-feira, no seu Twitter: "Como afirmado durante a campanha, pretendemos transferir a embaixada do Brasil de Telavive para Jerusalém".

"Israel é um Estado soberano e nós o respeitamos", defendeu.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, saudou no mesmo dia a decisão "histórica" do Presidente eleito do Brasil.

O candidato do Partido Social Liberal (PSL, extrema-direita), Jair Messias Bolsonaro, 63 anos, capitão do Exército reformado, foi eleito no domingo, na segunda volta das eleições presidenciais, o 38.º Presidente da República Federativa do Brasil, com 55,1% dos votos, derrotando o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, que teve 44,9% dos votos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,2 nov 2018 16:26

Editado pormaria Fortes  em  16 nov 2018 6:19

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.