Theresa May apresenta no parlamento as conclusões do Conselho Europeu

PorExpresso das Ilhas, Lusa,17 dez 2018 8:41

Câmara dos Comuns, Reino Unido
Câmara dos Comuns, Reino Unido

A primeira-ministra britânica, Theresa May, apresenta hoje na Câmara dos Comuns as conclusões do Conselho Europeu da semana passada, mas continua sem argumentos que convençam os deputados a viabilizarem o acordo de saída da União Europeia.

Há uma semana, Theresa May decidiu adiar a votação do acordo do ‘Brexit’ no parlamento britânico, por admitir que o mesmo seria rejeitado por “larga margem”, tendo-se deslocado a Bruxelas na terça-feira para discutir com os líderes europeus formas de obter “garantias adicionais” sobre os termos do mecanismo de salvaguarda previsto para evitar o regresso de uma fronteira na ilha da Irlanda, o tema mais difícil das negociações e que originou as maiores divergências.

Nas conclusões publicadas no final dos trabalhos do Conselho Europeu, os 27 não cederam ‘um milímetro’ na sua determinação de não reabrir a negociação dos termos do acordo de saída, limitando-se a repetir o que já constava no texto endossado pelos chefes de Estado e de Governo dos 27 em 25 de Novembro.

Todavia, para a primeira-ministrra britânica, há margem para esclarecimentos adicionais por parte dos 27 sobre o ‘backstop’ da fronteira irlandesa e que, nos próximos dias, debaterá com os seus parceiros europeus como obtê-las. 

Theresa May, que falava em conferência de imprensa em Bruxelas após a conclusão do Conselho Europeu, prosseguiu referindo que nos próximos dias debaterá com os líderes europeus e com as instituições europeias como obter “as garantias adicionais de que o parlamento britânico precisa para aprovar o acordo” de saída do Reino Unido da UE. 

Embora espere mais dos seus parceiros europeus, a chefe do Governo britânico desmistificou a ideia de que as conclusões do Conselho Europeu, dedicado ao Artigo 50, publicadas na quinta-feira à noite, não tenham constituído um passo em frente nas garantias que clamava quanto à questão do mecanismo de salvaguarda para a fronteira irlandesa. 

May recordou que as conclusões formais do Conselho Europeu têm um cariz vinculativo, pelo são “bem-vindas”, e estimou que é do interesse de ambas as partes que o impasse quanto à aprovação do acordo pelo parlamento britânico se resolva “o quanto antes”. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,17 dez 2018 8:41

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  7 set 2019 23:22

pub.
pub.
pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.