Vaticano deve reforçar medidas para acabar com abuso sexual de crianças - relatora especial

PorExpresso das Ilhas, ONU News,22 dez 2019 19:46

Maud de Boer-Buquicchio
Maud de Boer-Buquicchio(ONU/Jean-Marc Ferre)

​O Vaticano deve tomar todas as medidas necessárias para acabar com o abuso sexual de crianças. Além disso, a Igreja Católica também deve assegurar que os casos serão prontamente investigados e os responsáveis levados à justiça. A declaração é parte de um comunicado da relatora especial sobre venda e exploração de crianças.

Maud de Boer-Buquicchio afirma que a decisão do papa Francisco de abolir o segredo pontifício para abusos cometidos por clérigos é só o primeiro passo para acabar com “crimes abomináveis”.

O segredo impedia as vítimas de obterem justiça e compensações. A relatora acredita que após o alcance da transparência é chegada a hora de apurar responsabilidade penal e civil aos autores.

Boer-Buquicchio sugere denúncias obrigatórias para todos os clérigos e funcionários do Vaticano que tenham conhecimento de casos de abuso. A relatora especial diz que a igreja tem de exigir tolerância zero para abusos sexuais a crianças em todas as instituições sob sua supervisão, assegurando que os responsáveis pelos abusos sejam demitidos imediatamente.

Apesar de alguns casos terem sido descobertos e denunciados, a continuação dos abusos de crianças permanece “profundamente preocupante”. De Boer-Buquicchio diz que todas as vítimas merecem compensações e cuidados com base nos danos sofridos e no impacto sobre a vida dos sobreviventes e das suas comunidades.

Durante várias décadas, o flagelo do abuso a crianças foi inteiramente ignorado e negado.

A relatora considera que o fardo de denunciar os crimes não pode ser somente das vítimas e que o mundo espera que os países e a Igreja Católica possam cumprir o seu dever de acabar com esta situação.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, ONU News,22 dez 2019 19:46

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  30 mai 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.