Burkina Faso matou 29 terroristas após ataque às Forças Armadas

PorExpresso das Ilhas, Lusa,3 jan 2022 14:39

O exército do Burkina Faso matou 29 insurgentes no sábado passado, em resposta a um ataque às Forças Armadas burquinenses na cidade de Gomboro, localizada na província de Sourou, no noroeste do país, segundo fontes militares.

Os rebeldes foram mortos no contra-ataque por unidades militares e de segurança da zona, depois de terem sido atacados por indivíduos armados, disse a Direção de Comunicação e Relações Públicas das Forças Armadas do Burkina Faso, num comunicado enviado hoje à agência de notícias espanhola Efe.

Onze soldados foram feridos durante os combates e as armas, veículos e equipamento de comunicações foram recuperados, adianta o comunicado.

O Burkina Faso tem sofrido vários ataques terroristas, de vários grupos, desde Abril de 2015, quando membros de um grupo filiado na Al-Qaida raptaram um segurança romeno numa mina de manganês, em Tambao, no norte do país, que ainda está desaparecido.

A região mais atingida pela insegurança é o Sahel (norte), que partilha uma fronteira com o Mali e o Níger, embora o terrorismo também se tenha estendido a outras zonas do país, como a região do Boucle du Mouhoun (onde se situa a província de Sourou), desde 2017, e à região oriental do país, desde 2018.

Em Novembro passado, um ataque a um posto da Guarda Civil causou 53 mortes (49 militares e quatro civis), o que gerou uma grande agitação social, conduzindo a fortes protestos nas ruas exigindo a demissão do Presidente do país, Roch Marc Christian Kaboré.

A insegurança fez aumentar o número de deslocados internos para 1,4 milhões, segundo dados do Conselho Nacional para Emergências e Reabilitação (CONASUR) do governo do Burkina Faso.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,3 jan 2022 14:39

Editado porAndre Amaral  em  11 ago 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.