Oposicionistas recomeçaram a ser julgados e alguns arriscam até 18 anos

PorExpresso das Ilhas, Lusa,18 jan 2022 7:58

1

Os processos contra os participantes nas manifestações de 11 de julho de 2021, em Cuba, recomeçaram na segunda-feira, com pelo menos nove jovens com menos de 20 anos a arriscarem penas entre 15 a 18 anos, segundo um grupo local.

"Sinto-me muito mal, é demasiado duro", declarou à AFP, por telefone, Emilio Roman, que esteve presente num tribunal da capital cubana, onde estão a ser julgados dois dos seus filhos.

Segundo o grupo Facebook 11J, que contabiliza todos os processos judiciais ligados às manifestações, durante esta semana 17 pessoas vão ser julgadas no tribunal do bairro 10 de Outubro, em Havana, e outras 28 na província de Mayabeque.

Os filhos de Emilio Roman são acusados de sedição, atentado e propagação do novo coronavírus. A procuradoria requereu 20 anos de prisão para Yosney Emilio, que tem 25 anos, e 15 anos para o seu irmão Emiyoslan, que tem 17.

Por seu lado, o Supremo Tribunal Popular realizou na segunda-feira uma cerimónia para analisar "resultados e insatisfações" da justiça em 2021, segundo a imprensa local.

Segundo o seu presidente, Rubén Remigio Ferro, a justiça cubana teve de agir em "circunstâncias" muito "complexas" e julgou os que "cometeram actos de vandalismo, agressões violentas contra as autoridades e os funcionários e outros delitos graves", além de outros que violaram as medidas sanitárias contra a epidemia.

Mas reconheceu que as "fraquezas" da justiça prejudicam a sua "credibilidade" e "provocam queixas e insatisfações justificadas da população".

Na segunda-feira, a activista Carolina Barrero e dois outros dissidentes foram detidos, "enquanto se manifestavam pacificamente" perante o Supremo Tribunal, para "exigir a libertação imediata dos presos políticos em Cuba", anunciou na rede social o grupo de debate político Archipiélago.

Na sexta-feira, o activista Saily Gonzalez e familiares de Andy Garcia, detido na prisão de Santa Clara, também foram detidos, quando se dirigiam ao julgamento. Acabaram por ser libertados ao fim de algumas horas.

A justiça cubana não informou o número de pessoas detidas e processadas pelas manifestações realizadas em 11 de Julho de 2021.

Segundo a organização não-governamental Cubalex, foram então detidas 1.355 pessoas, das quais 719 continuam detidas.

"Apelamos à comunidade internacional para que se junte a nós para condenar a repressão generalizada das aspirações legítimas do povo", escreveu na rede social Twitter o secretário de Estado adjunto dos EUA com o pelouro das Américas, Brian Nichols, acrescentando que "mais de 200 cubanos" estão actualmente a ser julgados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,18 jan 2022 7:58

Editado porAndre Amaral  em  11 out 2022 23:28

1

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.