ONU. Debate Geral arranca em Nova Iorque com Zelensky

PorExpresso das Ilhas, Lusa,19 set 2023 8:05

O Debate da Assembleia-Geral das Nações Unidas arranca hoje em Nova Iorque, com destaque para os discursos do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, mas também dos chefes de Estado norte-americano e português.

Pela primeira vez, Zelensky discursará presencialmente na ONU, após ter participado virtualmente na Assembleia-Geral do ano passado, pouco mais de seis meses depois da invasão russa.

Zelensky, que deverá ser o 12.º líder a discursar no Debate Geral da 78.ª sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas (UNGA 78, sigla em inglês), deverá aproveitar para pedir um maior apoio internacional face à invasão russa, de acordo com analistas ouvidos pela Lusa.

A Rússia, por sua vez, será representada pelo seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, que deverá discursar na manhã de sábado.

Como habitual, caberá ao Brasil a abertura dos discursos de alto nível na Assembleia-Geral, através do Presidente, Lula da Silva, na manhã de hoje.

Já Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos - país anfitrião do evento -, cumprirá a tradição e apresentar-se-á em segundo lugar.

Os discursos no Debate Geral irão prologar-se até ao próximo dia 26.

A abertura do Debate Geral da 78.ª Assembleia-Geral ocorre num momento em que o planeta é assolado por crises em várias frentes: conflitos globais como o da Ucrânia, os atrasos nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a crise climática.

Contudo, espera-se que a invasão da Ucrânia volte a ser - tal como ano passado - um dos assuntos em destaque em vários dos discursos oficiais, até por ter sido levada a cabo por um membro permanente do Conselho de Segurança, importante órgão da ONU cujo mandato é zelar pela manutenção da paz e da segurança internacional, e que acabou por desencadear uma crise de confiança sobre as próprias Nações Unidas.

Por outro lado, os países em desenvolvimento vão querer aproveitar esta sessão da Assembleia para concentrar a atenção internacional nos seus problemas, como o crescente peso da dívida, segundo vários analistas ouvidos pela Lusa.

Também as reformas das instituições financeiras internacionais e uma política de acção em matéria de assistência socioeconómica e sobre-endividamento serão prioridades reflectidas nos discursos dos países em desenvolvimento.

A Assembleia-Geral é o órgão onde os 193 Estados-membros da ONU se sentam em pé de igualdade e tem uma função exclusivamente representativa, uma vez que o verdadeiro poder é exercido pelo Conselho de Segurança, onde são membros permanente os Estados Unidos, a China, a Rússia, o Reino Unido e a França, que têm o direito de veto.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,19 set 2023 8:05

Editado porAndre Amaral  em  1 out 2023 17:20

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.