UNICEF alerta que crianças no Sudão "estão a viver um pesadelo"

PorExpresso das Ilhas, Lusa,26 jan 2024 14:19

A UNICEF alertou hoje que as crianças no Sudão estão "a viver um pesadelo" e acrescentou que há o risco de esse sofrimento ser esquecido, transformando-se num desastre para uma geração inteira.

"[Há] 7,4 milhões de crianças no país [que] não têm acesso à água potável e estão expostas a riscos de doenças transmitidas pela água e de mortes, e quase dois milhões de crianças necessitam urgentemente de vacinas para as proteger de enfermidades potencialmente fatais", disse Mandip O'Brien numa entrevista ao 'site' das Nações Unidas.

O Sudão atravessa a maior crise de deslocamento infantil do mundo, com 3,5 milhões dos 24 milhões de menores a serem forçados a fugir das suas casas desde o início desta guerra, lê-se no comunicado da ONU, que dá conta do perigo de catástrofe humanitária de "proporções épicas", desde o início da guerra, em abril do ano passado.

A situação trágica dos menores também é refletida na falta de acesso à educação, acrescentou, salientando que "existem 19 milhões de crianças em idade escolar que não vão à sala de aula, o que coloca o Sudão à beira de se tornar uma das piores crises de aprendizagem do mundo".

Mandip O'Brien afirmou que o Sudão precisa de mais atenção do mundo, da comunidade internacional e dos meios de comunicação social para que a história sobre a catástrofe humanitária que as crianças, as mulheres e as famílias enfrentam seja contada.

O apelo de O'Brien surge no mesmo dia em que a agência de notícias Europa Press deu conta de uma ofensiva das Forças de Apoio Rápido (RSF) contra uma base do Exército do Sudão no sudoeste do país, nas últimas horas, que fez pelo menos 23 mortos e cerca de 30 feridos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,26 jan 2024 14:19

Editado porAndre Amaral  em  24 mai 2024 23:28

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.