Delegado refuta acusações sobre degradação dos indicadores de saúde de São Vicente

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,28 mar 2018 13:40

Elísio Silva
Elísio Silva (Rádio Morabeza)

O delegado de saúde de São Vicente estranha as declarações da deputada do PAICV, Filomena Martins, que ontem, no parlamento, denunciou uma alegada degradação dos indicadores de saúde na ilha. Elísio Silva destaca os ganhos na rede de cuidados primários e pede respeito pelo trabalho dos profissionais.

À Rádio Morabeza, Elísio Silva, delegado desde 2015, refuta as acusações do PAICV e fala em ganhos.

“Ao ouvir a deputada referir a degradação de indicadores em São Vicente fiquei espantado com os dados referidos, porque a ilha, nos últimos tempos, tem melhorado significativamente o que é o atendimento na atenção primária, que é seguida directamente pelo delegado de saúde. Houve um aumento do número de técnicos de saúde em todos os centros”, afirma.

No parlamento, Filomena Martins exemplificou com o registo de doenças como brucelose e salmonelose.

O delegado de saúde fala em situações pontuais que, acredita, podem ter sido causadas por factores externos.

“São doenças provocadas principalmente por alimentos, por exemplo queijo e ovos. Não podemos alarmar a população quando falamos de um ou dois casos de doenças totalmente controladas e que, muitas vezes, são causadas por alimentos provenientes de outras ilhas”, refere.

Dados da Delegacia de Saúde indicam que a estrutura registou 82 casos de salmonelose em 2015. O número diminuiu para metade em 2017, com 41 situações do género.

Em relação à brucelose, houve também uma diminuição das ocorrências. Em 2015 foram registados dois casos. O número subiu para seis em 2016 e voltou a baixar, para um único caso, em 2017.

Até este momento, e desde Janeiro, ainda não foi registado qualquer caso de nenhuma das duas doenças.

Elísio Silva sublinha que declarações como as de Filomena Martins não abonam a favor do trabalho feito pelas estruturas de saúde.

“Nós que trabalhamos todos os dias com o intuito de melhorar a condição de saúde da população ficamos insatisfeitos quando vemos este tipo de comunicação, onde uma pessoa, por si, muda a verdade do trabalho que estamos a realizar”, lamenta.

O responsável sanitário recorda o esforço no aumento da rede de cuidados primários de saúde, por forma a aliviar as urgências hospitalares. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,28 mar 2018 13:40

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  29 mar 2018 7:16

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.