PAICV denuncia "degradação dos indicadores de saúde" em São Vicente.

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,27 mar 2018 15:17

O PAICV denuncia aquilo que classifica de degradação dos indicadores de saúde em São Vicente. Pela voz da deputada Filomena Martins, o partido justifica a posição com o reaparecimento de algumas doenças, falta de recursos humanos e materiais e aumento do tempo de espera para consultas de especialidade.

Esta manhã, no parlamento, numa intervenção antes da ordem do dia, a deputada do maior partido da oposição, Filomena Martins, falou em retrocessos.

“As diarreias de sangue aumentaram substancialmente em São Vicente. Em 2016, como se não bastasse, São Vicente registou o maior número de casos de varicela em todo o país e no mesmo ano tivemos o maior surto nacional de conjuntivite bacteriana, situações que estavam absolutamente controladas. Desconhecemos em absoluto as razões. São Vicente, que já nos habituou pela positiva a estar sempre na liderança de vários aspectos, de uma ilha moderna e de mente aberta, neste caso, está pela negativa. É a única ilha do país que teve casos de brucelose e de salmonelose”, indicou.

Filomena Martins chama a atenção para o aumento das listas de espera nas consultas de especialidade.

“Nas consultas de especialidade, na oftalmologia, com o PAICV, a situação já era difícil, é verdade. A situação piorou, a lista de espera aumentou e está a ultrapassar um ano. Em fisioterapia, que não havia lista de espera substancial, neste momento, estamos a caminhar para os quatro, cinco meses. Laboratórios, também já era complicada a situação com os reagentes, mas piorou. Queremos soluções, não queremos que a situação se mantenha. Os centros de saúde, um grande ganho para todo o país e para São Vicente,  volvidos mais de dois anos de governação do MpD, encontramos uma gritante falta de recursos humanos”, analisou.

A falta de equipamentos nos laboratórios para análises e exames específicos é outro problema apontado pela deputada.

Em resposta, e em defesa do governo, o líder da bancada parlamentar do MpD, Rui Figueiredo Soares, lembrou que o PAICV esteve durante 15 anos no poder e que os indicadores de saúde não se alteram em dois dias.

“[Os indicadores de saúde] devem merecer uma análise atenta do Governo, de todos os actores e dos técnicos de saúde em São Vicente, para que a ilha continue a ter os melhores indicadores de saúde. Não há razões para que seja diferente. Os indicadores de saúde não se alteram em dois dias, nem em dois anos, há aqui uma consequência de acções de politicas anteriores, que foram tomadas ou que não foram tomadas, que levaram à degradação de alguns indicadores”, sublinhou.

Da parte do Governo, o Ministro de Estado e dos Assuntos Parlamentares, Fernando Elísio Freire, reafirmou o empenho do Governo em definir politicas que vão ao encontro das necessidades e realidade do país.

Sobre os alegados casos de brucelose, Fernando Elísio Freire avançou que o governo não tem informações oficiais sobre a questão.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,27 mar 2018 15:17

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  25 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.