Armadores nacionais não vão participar no capital social da futura concessionária dos transportes marítimos inter-ilhas.

PorLourdes Fortes,6 nov 2018 18:10

1

Os armadores nacionais não vão participar no capital social da futura concessionária dos transportes marítimos inter-ilhas. A garantia é do presidente da Associação Cabo-verdiana dos Armadores da Marinha Mercante (ACAMM), em declarações hoje aos jornalistas, no Mindelo.

Segundo João Guilherme para os armadores trata-se de um investimento sem retorno.

“Os armadores já decidiram e não vão participar nos 25 % do capital da futura concessionária, porque entendemos que não teremos o retorno do valor investido e será um valor alto. Estamos a falar num investimento de cerca de 10 milhões de escudos, para investir numa incerteza porque a companhia que vai gerir a empresa, com 75% poderá contornar os resultados finais, e os armadores nacionais só ficarão a ver navio passar”, afirma

O concurso de concessão dos transportes marítimos foi lançado a 30 de Janeiro deste ano.

O vencedor foi anunciado em Outubro, e as negociações contratuais entre o governo e a Transinsular, empresa vencedora, deverão estar já a decorrer.

O presidente da Associação Cabo-verdiana dos Armadores da Marinha Mercante acredita ainda numa solução que incluiu os armadores nacionais.

“Claro que há esta hipótese e continuamos a trabalhar neste sentido. Nós já enviamos cartas aos governantes, continuamos a achar que a solução [do transporte marítimo inter-ilhas] passa pelos nacionais. A nossa marinha, é verdade, não está em boas condições. A culpa não é só dos armadores, é também do governo. Por exemplo, o valor dos fretes mantém-se desde 2006 enquanto que os encargos para o estado, principalmente com a ENAPOR, aumentaram-se consideravelmente”,aponta.

A Associação dos Armadores da Marinha Mercante (ACAMM) considera que o concurso internacional para a concessão da gestão e exploração do serviço público de transporte marítimo de passageiros e cargas inter-ilhas, em regime de exclusividade, vai levar ao encerramento de todas as empresas marítimas nacionais, com implicações graves de ordem social, económica e financeira.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes,6 nov 2018 18:10

Editado porAndre Amaral  em  7 nov 2018 23:21

1

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.