Monica Semedo quer uma Europa com oportunidades para todos

PorExpresso das Ilhas,1 jun 2019 11:35

Monica Semedo, filha de emigrantes cabo-verdianos no Luxemburgo, foi eleita domingo para o Parlamento Europeu. A jovem eurodeputada promete engajar-se para que todos na Europa tenham uma chance, “assim como eu a as minhas irmãs tivemos no Luxemburgo”. Jorge Carlos Fonseca e Ulisses Correia e Silva já felicitaram a antiga estrela televisiva da RTL.

Na noite da vitória a jovem eurodeputada mal podia conter as lágrimas de alegria. “Não sei o que hei-de de dizer”, foram as suas primeiras palavras de Monica Semedo, proferidas na sede da campanha do Partido Democrata. Segundo o jornal Luxemburger Wort, a recém-eleita eurodeputada promete engajar-se em Estrasburgo para que todos na Europa tenham uma chance “assim como eu e as minhas irmãs tivemos no Luxemburgo”, acrescentando que esta chance só será possível se valores como tolerância e liberdade forem defendidos na Europa.

Em Cabo Verde o Presidente da República regozijou-se com a eleição da filha de emigrantes cabo-verdianos para o parlamento europeu como a quarta candidata mais votada no Luxemburgo.

“Acredito que, para chegar a este resultado, numa sociedade onde a concorrência política é grande, sobretudo como mulher, imperaram valores sólidos como o trabalho, a criatividade, o rigor, a liderança e um espírito combativo, de entre outros valores que fazem de si um verdadeiro exemplo a ser seguido por jovens cabo-verdianos e descendentes, no Luxemburgo, em Cabo Verde e onde quer que estejam as nossas comunidades espalhadas pelo mundo”, lê-se na mensagem enviada por Jorge Carlos Fonseca a Monica Semedo.

Ulisses Correia e Silva também felicitou a jovem deputada. Num post publicado na sua conta do Facebook o Primeiro-ministro ressalta que a eleição de Monica Semedo ao Parlamento Europeu é “mais uma demonstração de uma boa integração de cabo-verdianos no Luxemburgo”.

Uma história de superação

O percurso de vida da antiga apresentadora da estação televisiva luxemburguesa RTL lê-se como uma história de superação.

As condições de vida não eram fáceis à filha de imigrantes cabo-verdianos, que chegaram ao país no início dos anos 1970.

“Sendo filha de imigrantes cabo-verdianos, recordo-me que os meus pais tiveram de deixar a família, os amigos e a pátria aos 25 anos para virem para um país que não conheciam, com outro clima e com muito poucos imigrantes africanos”, afirmou Monica Semedo, ao jornal luxemburguês Contacto, lembrando que o Luxemburgo acolheu os seus pais com um “grande coração” e deu uma oportunidade tanto aos seus pais como aos seus filhos, “que puderam estudar, licenciar-se e ter uma vida mais fácil”.

Segundo a mesma fonte, as memórias do pai são mais breves, mas recorda com orgulho ter encontrado em Cabo Verde, há dois anos, um primo que lhe disse que o pai era professor e ensinou francês a muita gente na ilha. Apesar de ter emprego como professor, emigrou para o Luxemburgo. Trabalhou nos andaimes e a mãe nas limpezas. Monica Semedo gosta de pensar que o seu pai foi um dos trabalhadores imigrantes que ajudaram a erguer Kirchberg.

Com dois anos, conta a agência Lusa, ela e as irmãs foram colocadas num lar para crianças, onde acabariam por ficar durante cinco anos. O pai, professor em Cabo Verde, trabalhou nas obras no Luxemburgo e morreu num acidente de viação quando Semedo tinha nove anos. As cinco irmãs foram criadas pela mãe.

Monica Semedo licenciou-se em Ciência Política e a sua tese universitária foi sobre o segredo bancário no Luxemburgo. “Podia ter ido trabalhar a 100% para a RTL, mas reflecti sobre o objectivo dos meus pais ao virem para o Luxemburgo com a ideia de melhorar a vida dos seus: ’Se tenho a possibilidade de estudar na universidade, devo ir’”, disse, citada pelo jornal Contacto.

Em 2015, foi nomeada embaixadora da organização não-governamental Aldeias de Crianças SOS.

Após ter falhado a eleição nas últimas legislativas, foi nomeada responsável de comunicação da agência governamental “Luxembourg for Finance”, cargo que ocupou até agora.

Este domingo, a antiga estrela televisiva da RTL foi eleita eleita para o Parlamento Europeu. Com 50.890 votos, foi a quarta candidata mais votada a nível do seu país.

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 913 de 29 de Maio de 2019. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,1 jun 2019 11:35

Editado porJorge Montezinho  em  14 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.