José Maria Neves esclarece que CNE emitiu apenas uma recomendação

PorSheilla Ribeiro,8 out 2021 14:54

A candidatura de José Maria Neves esclareceu, através de uma nota de imprensa, que a deliberação da CNE depois da queixa apresentada por Carlos Veiga sobre o alegado incentivo para os eleitores aceitarem dinheiro de compra de votos, não condena e nem dá razão a ninguém, mas sim, que emite uma recomendação.

“Tanto no passado como nestas eleições presidenciais, José Maria Neves tem vigorosa e sistematicamente insurgido contra a prática de compra de votos e de consciências, por entender se tratar de uma grosseira perversão da democracia. Nenhum político em Cabo Verde tem-se pronunciado tanto como José Maria Neves sobre essa matéria desde 2001, sempre numa postura de condenação veemente”, começa por dizer o comunicado daquela candidatura.

Conforme a mesma fonte, na apresentação pública da candidatura, o discurso de José Maria Neves “foi o mesmo de sempre”. De condenação clara e inequívoca.

Assim, o documento justifica que o candidato condenou o recurso de certos políticos a essa prática perniciosa ao dizer: "ainda tem txeu políticos sem escrúpulos qui ta explora vulnerabilidade das pessoas em vésperas das eleições" ("ainda tem muitos políticos sem escrúpulos que exploram a vulnerabilidade das pessoas em vésperas das eleições").

O comunicado refere ainda que José Maria Neves falou do cadastro social que, no seu entender, “toda a gente sabe, foi utilizado nas últimas eleições legislativas, e está também a ser utilizado nestas eleições presidenciais, para fazer chantagem e condicionar o sentido do voto das pessoas”.

“Sendo que o dinheiro do cadastro social é do Estado, portanto dos cabo-verdianos, disse então José Maria Neves, citação: '….ami nca ta fla ninguém pa ka toma, porque dinhero ka é dado. É riqueza di nos tudo, é património de Cabo Verde" ("eu nunca digo a ninguém para não tomar, porque o dinheiro não é dado, é riqueza de nos todos, é património de Cabo Verde", lê-se.

Entretanto, a candidatura defende que José Maria Neves advertiu, para não se deixarem influenciar ao dizer,'...nu vota lá na undi nòs coraçon sa ta bati más forti" ("... vota onde o teu coração bate mais forte").

Neste sentido, a mesma fonte acusa quem apresentou a queixa de ter isolado algumas frases do contexto geral do discurso “numa clara tentativa de manipulação” e dai “retirar eventuais dividendos políticos”.

“A Deliberação da CNE não condena ninguém, nem deu razão a ninguém, ao contrário do que se quer fazer crer. Emite apenas uma recomendação. E que um certo candidato, sentindo a dinâmica de vitória da candidatura de José Maria Neves, tem sistematicamente recorrido a esses atos de desespero, socorrendo-se de manipulações e calunias”, refere.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,8 out 2021 14:54

Editado porSheilla Ribeiro  em  9 out 2021 18:38

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.