​SCM compromete-se a defender legado de Antero Simas cuja obra pede para ser estudada

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,17 jun 2022 14:49

A presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) garantiu hoje, 17, em São Vicente, o “firme compromisso” da sociedade em continuar a defender o legado de Antero Simas e convidou todos a “estudar melhor” a sua obra.

Solange Cesarovna falava à imprensa, em São Vicente, para lançar o programa de comemorações na véspera de a SCM celebrar o seu 9º aniversário, mas ocupou grande parte da colectiva a evocar a “perda que entristeceu profundamente” a SCM: o falecimento de Antero Simas, sócio fundador da sociedade e que deu um “contributo fundamental” para o projecto “nascesse e florescesse”

Para a presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música, Antero Simas, que foi representante de SCM na ilha do Sal, foi um autor “muito particular, eclético” e que trouxe uma marca particular para a música tradicional cabo-verdiana, pelo que, sintetizou, “todos devemos a esse grande autor, compositor e intérprete” o estudo do seu trabalho e o contínuo reconhecimento.

“Este é um momento para agradecer profundamente a Antero Simas pelo seu contributo ímpar para a cultura e a música cabo-verdianas, para que a causa dos direitos de autor e dos artistas fosse defendida em Cabo Verde, para o país, através do seu grande nacionalismo, patriotismo e defesa de valores que sempre cultivavam o amor por Cabo Verde”, concretizou a presidente da SCM.

Para Solange Cesarovna, Antero Simas foi, “sem dúvida”, um dos “maiores autores e compositores de Cabo Verde de todos os tempos”, que deixa uma “grande obra” que deve ser continuada e servir de fonte de inspiração, para que o arquipélago possa prosperar cada vez mais como país de música.

“Por isso, este dia, véspera da celebração dos nove anos da SCM, é de despedida do Antero, a nível físico, mas para confirmar que ele está vivo entre nós, através da sua obra, dos valores que cultivou, da inspiração que continua a trazer para o sector da música e porque tem obra e é ícone da cultura cabo-verdiana com marca própria”, concluiu a presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música. 

O autor, compositor e intérprete Antero Simas faleceu na quinta-feira, 16, nos Estados Unidos da América, aos 69 anos, vítima de doença prolongada.

Antero Euclides Simas Correia e Silva nasceu na cidade da Praia, a 07 de Outubro de 1952, e vivia actualmente nos EUA, por razões de saúde.

Antigo funcionário da ASA, quase toda a sua vivência musical aconteceu na ilha do Sal. Foi vencedor do Prémio Carreira, da Sociedada Cabo-verdiana de Música (SCM).

Na década de 60, ajudou a criar “Os Apolos”, um dos primeiros grupos a explorar ritmos até então desconhecidos do grande público, um dos quais talaia baxu, da ilha do Fogo.

O compositor vem de uma família musical, tem mais de 40 composições e, das suas criações, a mais famosa é “Doce Guerra”, morna na qual expressa o seu amor a Cabo Verde, a partir das particularidades de cada ilha.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,17 jun 2022 14:49

Editado porA Redacção  em  7 ago 2022 23:27

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.