CPLP: PR de Cabo Verde alerta para "muitas e legítimas aspirações" da juventude

PorExpresso das Ilhas, Lusa,27 ago 2023 15:43

“Ainda há muito ‘trabalho de casa’ a ser feito”, disse José Maria Neves
“Ainda há muito ‘trabalho de casa’ a ser feito”, disse José Maria Neves

José Maria Neves defendeu, em São Tomé, que as “ muitas e legítimas aspirações” da juventude só se podem concretizar “num ambiente são, democrático, moderno, próspero e com oportunidades para todos”.

Chefe de Estado disse registar “com satisfação” que os jovens, à escala global, “se mostram conscientes das preocupações de formação de uma nova ordem mundial, de guerras geoestratégicas, de migrações sem precedentes, de mudanças climáticas, de fortes assimetrias entre países industrializados e desenvolvidos e países fornecedores de matérias-primas e subdesenvolvidos – os ‘termos de intercâmbio’ são, desgraçadamente, desiguais”.

“O crescimento terá de ser necessariamente inclusivo e ambientalmente sustentável”, sublinhou.

Referindo-se à realidade do seu país, e também de São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau, que definiu como “pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento”, salientou que os três sofrem “de forma particular, as nefastas consequências das alterações climáticas, eventualmente mais gravosas do que nos demais membros” da CPLP.

“Localização remota, reduzida dimensão territorial e demográfica, a exposição aos efeitos climáticos extremos contribuem para uma maior vulnerabilidade económica e ambiental”, afirmou.

José Maria Neves abordou também a insegurança alimentar que se vive nalguns espaços dos Estados-membros e, socorrendo-se de uma afirmação feita no passado pelo seu homólogo brasileiro, Lula da Silva, declarou que “muitas pessoas não conseguem tomar café, almoçar e jantar todos os dias”.

“Reclamamos da subida dos preços dos combustíveis e da insegurança energética. A verdade é que uma percentagem apreciável da população não tem acesso à electricidade. A isto se junta muitos jovens, ainda em idade escolar, mas que não frequentam a escola, por razões diversas”, salientou.

“Em muitos casos, o sistema de saúde é precário e quase inacessível para uma parte considerável da população. Por esta realidade afectar principalmente a juventude, tudo isto deve merecer uma profunda reflexão”, defendeu, considerando que “ainda há muito ‘trabalho de casa’ a ser feito” pelas actuais lideranças da CPLP “em benefício dos jovens”, que esperam respostas mais assertivas.

Esses “feixes de problemas” devem ser prioridades da CPLP, destacou, sugerindo que se integrem “os direitos e deveres dos jovens, com destaque para a garantia de acesso ao sistema de ensino e à formação, capacitando-os para enfrentar o mercado de trabalho, cada vez mais global e mais competitivo, e poder construir projectos de vida com perspectivas de futuro – por enquanto, um sonho de muitos – de mais realização e dignidade”.

O Presidente cabo-verdiano abordou ainda a questão da mobilidade no seio da CPLP e defendeu “a necessidade de desapertar alguns espartilhos que ainda cerceiam a mobilidade e o intercâmbio de jovens”.

Essas dificuldades “em nada favorecem a tão necessária e requerida troca de experiências”.

“Os constrangimentos, que doravante persistem, condicionam a implementação de programas em diversas áreas, nomeadamente no ensino, formação, cultura e desporto. De forma consistente, devemos envidar esforços para superar estas dificuldades”, concluiu José Maria Neves.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,27 ago 2023 15:43

Editado porJorge Montezinho  em  16 abr 2024 23:28

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.