Yuran Henrique apresenta “Dentu Sol” na Praia

PorDulcina Mendes,25 mai 2019 9:40

O artista plástico e cartoonista Yuran Henrique está por esses dias no Palácio da Cultura Ildo Lobo, com a sua exposição de pintura intitulada “Dentu Sol”. Esta exposição pode ser visitada até o dia 4 de Junho. Depois da Cidade da Praia as obras serão apresentadas em Espanha.

Ao entrarmos no Café Ponto D’Arte encontramos os quadros do artista plástico, um trabalho com muita cor e luz, tanto em moldes maiores como menores. Fomos conversar com o artista no espaço onde decorre a exposição, mas chegamos alguns minutos antes da hora combinada, para podermos apreciar cada um dos quadros.

Enquanto os nossos olhos passavam de um quadro para outro, os ouvidos deliciavam-se com a boa música que ali encontramos. Coincidência ao não, as duas artes complementavam-se. Depois de alguns minutos, o artista plástico chegou acompanhado da esposa e do filho para nos falar da sua exposição.

Yuran Henrique, que já apresentou as suas obras tanto no país como lá fora, desta vez queria levar as suas obras para um lugar diferente daquele onde costuma decorrer as suas exposições.

“Como queria fazer algo mais intimista, achei que seria interessante levar os meus quadros para o espaço Café Ponte D’Arte, no Palácio da Cultura para desmistificar um pouco as coisas, porque às vezes, quando programamos uma exposição, pensamos logo numa sala grande”, explica Yuran Henrique.

Esta exposição foi baseada na vivência do nosso povo, que trabalha de sol a sol, para levar o sustento à família.

“’Dentu Sol’ foi uma metáfora que usei para colocar tudo na mesma família. Somos todos filhos do Sol, personificação da luz, por isso usei esse nome. Nesta exposição há uma parte em que retrato algumas figuras humanas e de vida quotidiana de Cabo Verde dentro do Sol”, conta.

Yuran Henrique nesta exposição recorreu a uma linguagem figurativa abstrata para retratar a espiritualidade humana, “como é que ela evolui e com isso quis mostrar a importância dessa evolução”.

“Podes encontrar muita força nas minhas pinturas, mas o artista está sempre à procura de uma identidade, para ter algo seu. Nesta exposição já podes ver que estou a entrar num estilo mesmo meu”, frisa.

Natural de São Vicente, desde muito cedo demostrou gosto e interesse pela pintura, ilustração e artes urbanas. Tendo crescido na Cidade do Mindelo, o artista foi influenciado pelo convívio cultural da ilha de São Vicente pelas mais diversas demostrações artísticas.

Em 2017, participou na VIII edição da Bienal de Jovens Criativos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Cerveira (Portugal).

Cartoonista no jornal Expresso das Ilhas, o artista viu mais recentemente as suas obras serem expostas no Centro Atlântico de Arte Moderna de Grã-Canária. Participou na exposição colectiva da XII Conferência de Chefes de Estados e de Governo da CPLP, em 2018, na Ilha do Sal.

Também em 2018, conjuntamente com o fotógrafo Nenass Almeida apresentou no Palácio da Cultura Ildo Lobo a exposição denominada “Extratos” e participou também na exposição colectiva “Palácio Fora de Portas” no Hotel Pérola. Este ano, participou da exposição “Jovens Talentos” que decorreu na Uni-Piaget.

Já com um percurso nessa área, o jovem ambiciona comunicar através dos seus quadros. “O meu grande desejo é fazer algo que todo mundo entende”.

Para Yuran, Cabo Verde é um lugar perfeito para criar, mas os artistas plásticos precisam de mais incentivos para sobreviverem nesta área. “O Governo deve fazer a sua parte, as instituições cabo-verdianas devem apoiar mais os artistas plásticos. Em outros países por exemplo as instituições financiam os projectos dos artistas”.

Projectos sociais

Actualmente os nossos artistas plásticos têm abraçado cada vez mais os projectos sociais. Yuran também pretende desenvolver o seu projecto social, mas essa iniciativa só virá mais tarde.

O artista deu seu contributo no projecto Xalabas no bairro de Achada Grande Frente, que tem levado outra dinâmica àquela zona. “Tenho muito respeito pelos projectos que têm a ver com as periferias”.

“Estou muito contente por participar no projecto Xalabas. Fiz três murais inspirados no quotidiano das pessoas daquele bairro. Fiz um pescador com cara de uma ave, muito parecido com o desenho da banda desenhada, foi algo pensado para aquela casa e para aquele espaço”, salienta.

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 912 de 22 de Maio de 2019. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,25 mai 2019 9:40

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  16 jun 2019 13:19

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.