​Museu Cesária Évora continua a ser o maior desafio para perpetuar memória de “Cize”

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,17 nov 2021 13:37

A criação do Museu Cesária Évora continua a ser o maior desejo da Associação Cesária Évora, dez anos após a morte da artista. As propostas apresentadas têm despertado interesse por parte dos governantes, mas falta acção, lamentaram hoje o empresário Djô da Silva e Janete Évora, representante da família.

Em conferência de imprensa para anunciar o programa de homenagem à "diva dos pés descalços", intitulada “10 anos de Sodade”, o presidente da Associação Cesária Évora, Djô da Silva, reforçou que é preciso ter “um lugar digno” em São Vicente dedicado a “Cise”.

“Falamos de um verdadeiro museu. A ideia da associação – e é um projecto que já foi apresentado ao Governo - é que a casa não seja apenas a casa da Cesária. Através da Cesária mostrar a cultura de Cabo Verde”, refere.

“Grandes países que têm tido a sorte de ter uma artista de renome como a Cesária, aproveitam-se dela para mostrar toda a sua cultura. E acho que é isso que Cabo Verde devia fazer. Mas acreditamos que o projecto vai ser concretizado um dia, porque, para mim, o melhor da Cesária está por vir”, diz.

De acordo com a mesma fonte, a primeira proposta apresentada ao Governo foi a compra da casa da cantora com o espólio incluído, para aí instalar o museu, mas a mesma não avançou. Depois, surgiu a ideia de construir o museu num outro local, mas sem qualquer avanço. Djô da Silva disse que os governantes sempre mostraram interesse, mas tem faltado ação, muitas vezes por razões económicas.

“Estamos num país onde a pressão popular praticamente não existe. Se existisse, talvez o museu já estivesse pronto”, entende.

Presente no acto, Janete Évora, representante dos familiares, lamentou a passividade, mesmo da familia.

“Somos muito pacíficos. Tanto a população como os familiares. Não era para a família estar à espera para ter um museu, não era paraDjô da Silva estar a correr atrás para ter um museu. Era para recebermos propostas do próprio Estado para valorizar quem foi Cesária Évora. E mesmo tendo propostas há entraves”, realça.

image

Quanto à homenagem, a programação começa no dia 12 de Dezembro com um concerto na Praça Nova, que trará ao palco o grupo que acompanhou a cantora nas décadas de maior triunfo. A inauguração de uma exposição no pátio da Alliance Française do Mindelo, que mostrará algumas imagens de destaque no percurso da “Cise”, assim como os diversos discos de ouro e prata que conquistou ao longo da sua carreira internacional também constam da programação.

Do programa consta a promoção de uma mesa redonda para discutir a temática do empreendedorismo feminino e projecção de alguns documentários que foram feitos ao longo da sua carreira, o que acontecerá na Praça D. Luis. No dia 16, haverá a habitual passeata e serenata pelas ruas de Mindelo. Para o dia 17, data que assinala o 10º aniversário da morte de Cesária Évora, consta a realização da habitual “Comida de Anjo” e “concurso de uril”. A homenagem estende-se até dia 19.

Cesária Évora nasceu no Mindelo, em 27 de agosto de 1941, cidade onde também morreu, em 17 de dezembro de 2011, sendo considerada, com as suas mornas, a cantora de maior reconhecimento internacional em Cabo Verde.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,17 nov 2021 13:37

Editado porAndre Amaral  em  8 dez 2021 11:19

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.