PR quer mobilização de recursos para recuperar o prestígio dos Tubarões Azuis

PorSimão Rodrigues,17 fev 2018 11:29

​O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, exorta as autoridades nacionais, municipais, empresariais e toda a sociedade cabo-verdiana a mobilizar recursos para que a selecção nacional de futebol consiga alcançar grandes patamares e ultrapassar todas as metas já atingidas.

Durante a cerimonia de homenagem realizada na noite de sexta-feira no Jardim Presidencial, para celebrar ao quinto aniversário da primeira participação de sempre da selecção de Cabo Verde numa fase final do Campeonato Africano das Nações, CAN’2013, classificou “o evento de simbólico e de um grande feito”.

Clarifica que foi “o momento em que a Nação cabo-verdiana se uniu à volta dos Tubarões Azuis, dos símbolos nacionais e do Azul”, ressalvando que Cabo Verde fez um brilharete na África do Sul, quando o próprio presidente sul-africano, Jacob Zuma, foi surpreendido pela forma de jogar da equipa nacional no solo sul-africano.

O Chefe de Estado considera que os “Tubarões Azuis”, nome por que é conhecida a selecção nacional de Cabo Verde, e a presença no CAN’2013 representaram momentos da afirmação, da nossa auto-estima nacional, da nossa força e união.

Acredita, o mais alto magistrado da nação, que com a nova direcção da FCF, com novas energias e novas ambições Cabo Verde pode repetir as brilharetes de cinco anos e fazer até melhor, recordando que a selecção de futebol nacional chegou a ser em 2014, a 27ª equipa do “ranking” mundial da FIFA e 1ºa nível da África.

O Chefe de Estado espera que haja mobilização de recursos, para que os “Tubarões Azuis” possam fazer boa figura, não só em África, mas também no mundo, tendo, uma vez mais, manifestado a sua disponibilidade para a materialização desta acção.

“Estamos de volta”, Mário Semedo

O presidente da FCF, Mário Semedo, disse que para além de reconhecer o feito dos Tubarões Azuis em 2013, a homenagem serviu, “claramente”, para mostrar aos cabo-verdianos que está de volta, à frente de uma equipa, capacitada para levantar os “Tubarões Azuis”, depois de um período menos brilhante”.

Entende ser fundamental que a nação cabo-verdiana se una à volta dos Tubarões Azuis para relançar a carreira iniciada há anos atrás e que culminou com a primeira participação numa fase final do CAN.

“Penso que nunca, talvez, Cabo Verde terá sido directamente visto por tanta gente como o primeiro jogo no CAN’2013 contra a África do Sul. Mais de 50 mil espectadores no estádio e, de acordo com os dados da CAF, milhões de espectadores assistiram a esse jogo em directo”, atesta Semedo.

Disse que o futebol deu um grande contributo para o país em termos de divulgação e da sua imagem consolidada com o resultado, marcado pela forma como Cabo Verde jogou a passagem às meias finais logo na sua primeira participação.

Para Mário Semedo é importante que se continue a apoiar a selecção de Cabo Verde e o desporto cabo-verdiano e os Tubarões Azuis, reafirmando que a nova direcção tem propósitos claro de qualificar a selecção para o CAN’2019 cujos jogos serão retomados em Setembro, afora objectivos maiores, que “só podem ser alcançados com apoio de toda a gente”.

Mário Semedo mostra-se convicto de que com a união será retomada a senda das grandes alegrias que os “Tubarões Azuis” deram a todos os cabo-verdianos.

A cerimónia foi assinalada pela entrega do “Diploma de Homenagem” a todos os jogadores e “staff” que nessa época esteve em África do Sul, com os jogadores, todos a competirem na sua grande maioria no estrangeiro, a serem representados pelo capitão de 2013, Nando.

O antigo internacional pediu o “djunta mó” para resgatar o prestígio da equipa nacional em sinal de “reconhecimento e felicitação” e juntou sua voz à da chefe da comitiva cabo-verdiana nessa montra maior do futebol cabo-verdiano, Helena Vasconcelos.

A ocasião foi marcada pelo lançamento da revista comemorativa ao V Aniversário dos Tubarões Azuis, no CAN’2013.


Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 846 de 13 de Fevereiro de 2018.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Simão Rodrigues,17 fev 2018 11:29

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 dez 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.