Uma história do surgimento do Voleibol em Cabo Verde (1ª parte: o caso da ilha de Santiago)

PorWilliam Vieira,30 jun 2020 7:38

Anos 50. Equipa dos Nazarenos na modalidade de Voleibol. De pé o pastor Caldeira Marques, Rui Simas Vera Cruz, Virgílio Évora, Benvindo Fonseca. Em baixo Rui Maia, Milton e Patana Craveiro.
Anos 50. Equipa dos Nazarenos na modalidade de Voleibol. De pé o pastor Caldeira Marques, Rui Simas Vera Cruz, Virgílio Évora, Benvindo Fonseca. Em baixo Rui Maia, Milton e Patana Craveiro.

Depois da institucionalização da Igreja do Nazareno nos E.U.A em 1900, originário do Movimento de Santidade no Século XIX, sensivelmente 1 ano mais tarde, a Igreja cristã protestante chegou a Cabo Verde.

Um missionário de origem cabo-verdiana, residente nos E.U.A, nascido na ilha Brava, chegou à ilha natal para pregar o Evangelho.

João Dias era o eleito para iniciar o primeiro projeto de uma Igreja protestante em Cabo Verde. Este missionário tinha uma tarefa árdua. Numa sociedade na sua maior parte Católica Apostólica Romana, passara por enormes obstáculos, chegando inclusivamente a ser ameaçado de morte.

Devido à sua tenacidade inicial e a perseverança de outros missionários à posteriori, o protestantismo e a Igreja avançaram, popularizaram e enraizaram na sociedade cabo-verdiana, deixando um grande contributo social, educacional, teológico e também desportivo.

Entrando no campo histórico desportivo, conforme atestam grandes figuras da sociedade cabo-verdiana, entre as quais, Orlando Mascarenhas e Indalécio Antunes, no caso da ilha de Santiago, atribuem um legado importantíssimo à Igreja dos Nazarenos na implementação (caso de Voleibol) e massificação de várias modalidades de pavilhão (indoor).

Afinal de contas, para Mascarenhas (2020), havia uma placa desportiva feita pelo governo português, porém o que serviu de fato para a movimentação e dinamização dos jovens atletas naquele período, foi o recinto da “Kintalona” dos Nazarenos.

Tese 0: O Voleibol terá surgido em Cabo Verde por volta dos anos 50, entre as ilhas de São Vicente e Santiago, provavelmente trazido pelos nazarenos (William Vieira).

A filosofia do criador da modalidade, William Morgan, era criar uma modalidade desportiva que não pusesse em causa o contato físico entre equipas adversárias, onde esta nova prática permitisse um jogo pacífico, onde todas as faixas etárias pudessem jogar sem restrições.

A base para a argumentação da minha hipótese é que, a visão de Morgan e a visão das Igrejas cristãs, iam de encontro com os conceitos desta modalidade, praticar desporto de forma diferente, harmoniosa, amenizando os riscos de lesões. E tudo isto é um conceito Cristão indo de encontro com os ideais de William Morgan!

Crianças, adultos, velhos, pessoas especiais e até pastores poderiam jogar!

A minha posição é também estribada na YCMA (Young Men's Christian Association), que de resto tiveram uma grande influência na criação e mundialização do Voleibol.

Era uma Associação Cristã da Mocidade, também cofundada por William Morgan, em que tinha como propósito ajudar jovens que chegavam a Londres, oferecendo-lhes trabalho, tirando-os da vida de rua, incentivando-os à prática de princípios cristãos, conforme ensinados por Jesus Cristo, através de estudos bíblicos e orações, aliados à atividade física de forma harmoniosa.

No meu haver, apesar do protestantismo Nazareno, o objetivo era benévolo, baseado em conceitos universais da prática do “bem”. Portanto, esta era a modalidade para ser ponderada por qualquer Religião, Seitas ou Igrejas no período. E assim fez a Igreja Nazareno em Cabo Verde, como é atestado no anexo abaixo exposto.

No caso da cidade da Praia, no centro do Plateau, antiga zona do Monte Agarro, foi edificada a Igreja dos Nazarenos. Alguns metros acima, foi também construída uma casa para acolher os responsáveis da Igreja e alguns metros ao lado, foi edificado um pequeno recinto desportivo apelidado de “Kintalona”.

Devido à tremenda carência a nível de infraestruturas desportivas no país, muito devido a priorização governamental em outros sectores, foi dada pouca relevância à questão do desporto em relação às ilhas e este sítio era a primeira “placa” desportiva de iniciativa privada criada na cidade da Praia.

Como veremos mais à frente, “Kintalona” era utilizado para muitas atividades desportivas e de lazer por jovens aderentes daquela Igreja cristã protestante e não só!

Segundo a tese de Mestrado de Filomena da Fátima Ramos Lima, realizada na Faculdade de Letras do Porto, intitulado «História da Igreja do Nazareno – Uma Igreja Centenária em Cabo Verde (1901 – 2001) – Uma Perspetiva Educacional», aborda a questão educacional através da origem do seminário nazareno em Cabo Verde.

De acordo com a tese, no seminário havia um curso preparatório no sentido de “oferecer uma boa preparação aos obreiros para o ministério da Palavra de Deus, permitindo-lhes ministrar em todos os níveis”.

Era um estudo concentrado nos principais campos teológicos e de crescimento pessoal como: “Bíblia (Velho Testamento, Novo Testamento), Teologia e Apologética, História Eclesiástica, Filosofia e Psicologia, Ministério Pastoral (Evangelismo, Arte de Contar Histórias, Arte de Dirigir Programas), Manual da Igreja do Nazareno, Informática, Interpretação Oral, Regência, Música Instrumental, Treinamento Pastoral, Homilética, Teologia e Prática Pastoral, Aconselhamento, Educação Religiosa, Administração, Línguas (Português e Inglês) e Literatura, Crescimento Pessoal (Formação Espiritual e Social, Educação Física e Assuntos Contemporâneos)”.

A Educação Física era factualmente uma das áreas de ensino por parte dos nazarenos!

De referir que no curso, havia dois níveis de Educação Física: I e II, ministrados cada qual por 1 hora, durante otodo o curso.

Segundo relatos fidedignos de quem viveu naquele período, nos tempos livres, o britânico Samuel Clifford Gay, um dos primeiros missionários da Igreja do Nazareno em Cabo Verde, reunia-se com jovens daquela Igreja para entreter e sobretudo para jogar uma nova modalidade que consistia na prática numa quadra, dividida em duas partes por uma rede, tendo duas equipas de 6 jogadores de cada lado.

Para além da equipa da Igreja do Nazareno, havia outros clubes como o Vitória, Travadores e Sporting da Praia. Algum tempo depois, surgiu a equipa do Boavista, aderindo à causa do Voleibol, com as regras do jogo devidamente padronizadas, como a FIVB (Federação Internacional de Voleibol, criada em 1947) decretava naquele período.

Muitos jovens na época, hoje grandes nomes e memórias do desporto nacional, pisaram e saltaram no piso daquele recinto, para praticar o Voleibol, entre outras modalidades.

Casos de Raimundo Melo (antiga estrela do futebol cabo-verdiano que atuou em Cabo Verde pelo Sporting da Praia, esteve em Portugal, ao serviço do Benfica por um curto período e depois foi emprestado ao Castelo Branco), Orlando Mascarenhas (Antigo Presidente do Sporting da Praia, Ex Presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol e agora Presidente da Academia Olímpica e Comissão de Ética do Comité Olímpico Cabo-verdiano), Luís Bastos (um dos melhores jogadores cabo-verdiano de todos os tempos, já falecido, que teve uma curta passagem pelo Benfica de Eusébio e Mário Coluna nos anos 60). Jorge Pedro Évora (Presidente e jogador do Boavista), Ulisses Pinto (estudante em São Vicente e um dos melhores voleibolistas no período), Virgílio Évora (um dos melhores praticantes também da modalidade naquela época que atuava ao serviço dos Nazarenos (voleibol) e posteriormente esteve ao serviço do Rápido Clube (futebol)), Rui Maia (antigo jogador do Sporting da Praia (futebol e vólei), Feirense de Portugal e a Académica de Coimbra, também de Portugal (futebol) ), Patana Craveiro ( jogador de voleibol e futebol, que mais tarde fora para Portugal e representou o Marítimo da Madeira), Benvindo Fonseca (ex. atleta do Sporting da Praia, no Voleibol e futebol), Aníbal (antigo Jogador do Vitória da Praia de Voleibol), etecetera.

No período, ainda não existiam Associações Regionais, muito menos a Federação da modalidade, então os dirigentes de cada clube reuniam-se para delinearem como seriam organizados os respetivos campeonatos/torneios na região de Santiago.

De entre os dirigentes, destaque para Joaquim Ribeiro, um dos fundadores do Rápido Clube, Sporting Clube da Praia e Antigo presidente do Federação Cabo-verdiana de Boxe, reconhecido sobretudo pela organização de eventos desportivos na cidade capital.

O Voleibol é uma das mais antigas modalidades coletivas em Cabo Verde, segundo depoimentos credíveis, ele surgiu depois do futebol.

Outras modalidades como Basquetebol e Andebol foram implementadas algum tempo mais tarde.

William Vieira

Foto cedida por Orlando Mascarenhas, presidente Comissão de Ética e Academia Olímpica do COC.

Anos 50. Equipa dos Nazarenos na modalidade de Voleibol. De pé o pastor Caldeira Marques, Rui Simas Vera Cruz, Virgílio Évora, Benvindo Fonseca. Em baixo Rui Maia, Milton e Patana Craveiro.
Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:William Vieira,30 jun 2020 7:38

Editado porSara Almeida  em  27 nov 2020 23:21

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.