Hub do Sal arranca hoje

PorAndre Amaral,1 fev 2018 11:30

Novo capítulo na vida da transportadora aérea nacional.Parte do plano de reestruturação da empresa, o hub do Sal foi criado por, garante a empresa em comunicado, o aeroporto internacional Amílcar Cabral “oferecer melhores infraestruturas operacionais que o aeroporto da Praia”.

Os voos inaugurais deste novo capítulo da vida da TACV acontecem hoje “com o voo oriundo do Recife, que fará escala na ilha, com destino a Lisboa e com um voo de Lisboa com destino a Fortaleza”, anuncia a empresa que acrescenta: “O inicio da operação no Sal contempla um novo modelo de negócio para a TACV em formato Hub & Spoke, ponto de conexão para vários destinos. Este novo modelo colocará o arquipélago, nomeadamente a ilha do Sal, como ligação entre os 4 continentes – América do Norte, América do Sul, África e Europa, alargando assim o mercado de actuação da companhia aérea”.

Com esta concretização do hub e a mudança operacional para o Sal, a TACV acredita que conseguirá uma “maior capacidade de actuação dos Cabo Verde Airlines de maneira a podermos alargar os nossos mercados de actuação, sem nunca deixar de providenciar os nossos serviços ao povo cabo-verdiano. Esta porta aberta para os 4 continentes dará uma maior notoriedade e visibilidade não só à companhia aérea, mas também a Cabo Verde,” afirma Mário Chaves, CEO dos TACV – Cabo Verde Airlines.

A visão, como foi mostrado na conferência que decorreu no Sal em Dezembro do ano passado, é fazer da TACV Internacional “a companhia aérea de primeira escolha, para conexões eficientes entre os quatro continentes da Europa, América do Sul, África e América do Norte”. Para que isso aconteça, tudo tem de funcionar de forma oleada, ou seja, terá de haver um processo fiável, eficiente e único para Passageiros e Bagagens, Internacionais ou Domésticos, e isso mexe com tudo, segurança, imigração, Handling, infra-estruturas e serviços para os passageiros.

Como disse José Luís Sá Nogueira, citado pela Inforpress, este é um processo complexo, que precisa de muito trabalho, organização, eficiência e eficácia. “Temos que partir de uma base sólida. Não vamos começar sem uma experiência concreta, e é por isso que temos o grupo Icelandair neste momento connosco na gestão, para assegurar que o sucesso que tiveram na Islândia, e tendo em conta a realidade de Cabo Verde e os desafios que temos pela frente, possa também transformar o “hub” de Cabo Verde num “hub” de sucesso”.

“Não é fácil, mas estamos determinados de que esta é a solução para a TACV”, disse ainda o PCA da companhia aérea cabo-verdiana.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,1 fev 2018 11:30

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.