Combustíveis mais baratos em Janeiro

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,1 jan 2019 17:18

​O ano 2019 começou com combustíveis mais baratos, segundo a actualização de preços máximos de combustíveis, para vigorar durante o mês de Janeiro, divulgada pela Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME).

Assim, desde a meia-noite de hoje, a gasolina é vendida a 108,50 ECV/L, o gasóleo normal a 95,80 ECV/L, o gasóleo para electricidade a 80,60 ECV/L e o gasóleo marinha a 68,10 ECV/L.

O petróleo é vendido, em Janeiro, por 82,40 ECV/L, o fuelóleo 380 custa 56,90 ECV/L e o fuelóleo 180 é vendido a 62,30 ECV/L.

O butano passa a ser vendido a granel por 118,40 ECV/kg, sendo que as garrafas de 03 kg passam a custar 337,00 ECV, as de 06kg passam a custar 710,00 ECV, as de 12,5 kg são vendidas a 1.480,00 ECV e as de 55 kg a 6.511,00 ECV.

Em termos relativos, os preços do gasóleo normal, do gasóleo electricidade e do gasóleo marinha, no mercado interno, diminuíram 8,67 por cento (%), 10,14% e 10,39%, respectivamente, os do Fuelóleo 180 e Fuelóleo 380 sofreram uma redução de 13,13% e 12,38%, respectivamente, o da gasolina baixou 7,42%, o petróleo caiu 8,85% e do butano reduziu 4,75%.

O comunicado da ARME explica que os dados publicados no Platts European Marketscan e LPGasWire indicam que os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais, cotados em USD/ton, “mantiveram a tendência de baixa durante o mês de Dezembro, relativamente ao mês de Novembro”.

Por outro lado, a cotação do câmbio EUR/USD, tendo como referência BLOOMBERG (14h no horário de Frankfurt) do último dia do mês de Dezembro evidenciou uma ligeira apreciação do euro face ao dólar dos Estados Unidos, em 0,77% (1,1454), comparado ao câmbio do último dia do mês de Novembro, o que “contribuiu positivamente nas descidas dos preços dos combustíveis no mercado interno, tendo em conta que a matéria-prima é negociada em dólares”.

O documento avança que “o mês de Dezembro ficou marcado por uma tendência média de descida das cotações do petróleo” já que a chamada guerra aduaneira entre os EUA e a China “em muito contribuiu para os níveis de incerteza e cautela dos mercados em relação à evolução de indicadores nomeadamente do crescimento económico”.

Além disso, os mercados reagiram com desconfiança aos efeitos práticos da decisão da OPEP de cortar a produção em 1,2 milhões de barris diários e da capacidade de reequilibrar o mercado da actual situação de excesso de oferta de crude.

O contexto macroeconómico mundial, pessimista, baseado em previsões de diminuição dos níveis de crescimento económico levou “a um maior receio por parte dos investidores e arrastou os principais mercados de matérias-primas, como o crude, para fortes quedas”.

Deste modo, adianta a ARME, “a evolução do preço dos produtos petrolíferos no mercado internacional, aliada à apreciação do euro face ao dólar americano, determinaram os preços de combustíveis no mercado nacional”.

Os novos preços dos combustíveis no mercado nacional vigoram até 31 de Janeiro.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,1 jan 2019 17:18

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 mar 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.