COVID-19: Governo reúne-se com empresas do sector energético

PorAndre Amaral,15 jun 2020 12:30

Ministro da energia e empresas do sector energético estiveram reunidos, hoje de manhã, para analisar os impactos provocados pela pandemia de COVID-19 no sector energético nacional. Retoma no sector dos combustíveis e electricidade será feita à medida que o consumo volte ao normal, assegura o ministro.

No final Alexandre Monteiro, ministro da Energia, explicou que este encontro com stakeholders do sector energético serviu para fazer uma breve avaliação do impacto da COVID-19 no sector e também analisar perspectivas em relação ao futuro e o estado de preparação para esta fase de desconfinamento.

"Como conclusão ficou registado e tomamos boa nota que as empresas estão preparadas para garantir o abastecimento de serviços essenciais como a electricidade e combustíveis. E o governo está preparado e conta com a contribuição de todos esses stakeholders para aumentar a capacidade do país de adaptação a choques externos de natureza económica, climática e sanitária", explicou o ministro.

O governo, aliás, tomou a decisão de se manter o foco, durante esta fase de recuperação económica, na execução do programa nacional de sustentabilidade energética que "visa a transição para uma menor dependência de combustíveis fósseis e o plano mantém-se de alcançar as metas, até 2030, de ultrapassar os 50%" de utilização de energias renováveis e também "queremos levar essas energias renováveis a uma meta ambiciosa de mobilidade eléctrica. Queremos chegar a 2050 com todos os veículos movidos a electricidade".

Na reunião os parceiros do sector energético transmitiram ao ministro Alexandre Monteiro que os impactos negativos no sector durante a crise provocada pela pandemia de COVID-19 foram "impactos relacionados com as medidas restritivas de distanciamento social e da própria recessão económica que se traduziu na diminuição da procura".

"Sal e Boa Vista são ilhas com uma demanda turística, em termos de consumo de energia, de mais de 50%. Sem turismo a procura diminui. Mas são sectores em que a retoma se faz de modo gradual, à medida que o consumo retorna ao normal", concluiu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,15 jun 2020 12:30

Editado porSara Almeida  em  14 ago 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.