Bestfly quer ligar Cabo Verde à costa africana e aumentar ligações a Portugal

PorAndre Amaral,4 jun 2022 21:16

A Bestfly apresentou hoje, no aeroporto da Praia, a sua nova aeronave, um Embraer 190, que vai permitir aumentar as ligações do país à costa ocidental africana e a Portugal.

O anúncio foi feito pelo PCA do grupo Bestfly, Nuno Pereira, durante a cerimónia de recepção do Embraer 190 que a companhia recebeu hoje.

Além disso aquele responsável referiu que o objectivo é ter uma frota de seis aviões. Aos dois ATR 72-600 já em operação e ao Embraer 190 que chegou hoje deverá juntar-se um outro Embraer 190 e dois Twin Otters com 19 lugares cada.

Em declarações à comunicação social antes da chegada do avião ao aeroporto da Praia, Nuno Pereira afirmou que o objectivo é "manter a nossa operação de uma forma sustentável, mesmo quando a época for baixa".

A esperança da Bestfly é que o processo de certificação internacional do Embraer 190 esteja concluída até Julho por forma a que o avião possa começar a operar o mais depressa possível dando, assim, início às ligações à costa ocidental africana e à Europa. O objectivo, referiu, é ligar Bissau, à Praia e a dois aeroportos em Portugal (Ponta Delgada e Lisboa). Posteriormente a companhia aérea quer ligar Cabo Verde a Angola, Nigéria Gana e Senegal.

"Até final do ano temos no nosso plano de negócios o projecto de incrementar a nossa frota com mais um E-190 e com duas aeronaves Twin Otter, com menor capacidade, de 19 lugares, para poder fazer esse complemento à necessidade que existe de fazer evacuações médicas, de auxílios pontuais em ilhas pontuais", declarou, por sua vez a directora executiva do grupo, Alcinda Pereira. Além disso, esclareceu, estas aeronaves farão ligações regulares comerciais entre, por exemplo, "as ilhas do Sal e do Fogo ou da Boa Vista e Maio".

A Bestfly opera em Cabo Verde desde 17 de Maio de 2021, altura em que a Binter tinha anunciado que iria encerrar as operações no país. No primeiro ano de actividade realizou mais de 3.400 voos entre as ilhas e transportou mais de 170.000 passageiros, com uma taxa de ocupação média de quase 71%. Além destes voos comerciais a companhia fez 35 voos 'charter' para transportar doentes em estado grave, a pedido das autoridades de saúde, justificando com esta necessidade a aquisição das duas aeronaves Twin Otter, bem como com a realização de voos para ilhas com menos procura ou na época baixa, por “reduzir significativamente” os custos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,4 jun 2022 21:16

Editado porAndre Amaral  em  6 jun 2022 9:42

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.