​Primeira emissão de "obrigações azuis” do IIB em curso até Fevereiro

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,24 jan 2023 7:56

A Bolsa de Valores de Cabo Verde lançou esta segunda-feira, em São Vicente, a primeira emissão de "obrigações azuis" do país, realizada pelo IIB. São 25 mil obrigações, ao preço de 10 mil escudos cada, com maturidade a cinco anos e taxa de juro de 4%, para financiar projectos na área da economia azul.

Segundo o presidente da bolsa de valores de Cabo Verde, Miguel Monteiro, que discursava na cerimónia oficial, trata-se de uma oferta pública de subscrição através do International Investment Bank (iiB) de Cabo Verde.

“A emissão das obrigações, no montante de 250 mil contos, podendo subir para os 350 mil contos, visa sobretudo possibilitar o desenvolvimento de projectos estruturais na área de economia azul. Pretende-se, ainda neste mesmo sector da economia azul, dedicar o mínimo de 50 mil contos para o desenvolvimento e inclusão financeira, viabilizando, através de financiamentos directos, ou através de identificação e desenvolvimento de parcerias estratégicas e inovadoras com instituições de microfinanças, para apoiar o acesso ao crédito de pequena escala, a particulares e pequenas empresas, nos sectores marítimo e pesqueiro sustentáveis”, afirmou.

Por seu lado, o presidente da Comissão Executiva do IIB, Francisco Ferreira, apontou para um projecto piloto que pode ser estendido a outras áreas da economia nacional.

“Estamos a fazer a emissão do primeiro Blue Bond no mercado, que consideramos ser um programa piloto, que poderá ser estendido a novas emissões azuis, bem como catalisar a participação dos restantes stakeholders no mercado para outras emissões com o mesmo cariz meritório”, apontou.

A emissão, denominada Marine and Ocean Based Blue Bond série D, decorre até 28 de Fevereiro e representa a primeira oferta pública de subscrição de obrigações, desde 2013, com a parceria do PNUD, através da BLU-X, plataforma destinada ao desenvolvimento da economia azul sustentável.

Christopher Lilyblad, economista de desenvolvimento, em representação do PNUD, presente no evento, sublinhou a importância da diversificação da economia, também através de meios alternativos de financiamentos.

“É um grande momento para Cabo Verde o lançamento desta primeira obrigação azul, foi um caminho feito na base de uma parceria muito próxima com a Bolsa de Valores. Estamos a diversificar a economia através deste tipo de financiamento, trata-se de uma emissão que é uma espécie de financiamento privado, que mostra que o mercado está interessado em investir neste tipo de iniciativas e que tem interesses financeiros para aumentar as actividades na economia azul, seja pescas ou desportos náuticos”, referiu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,24 jan 2023 7:56

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  7 fev 2023 7:20

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.