​Combustíveis mais caros em Outubro

PorDulcina Mendes,30 set 2023 20:16

Todos os combustíveis vão ficar mais caros a partir de 1 de Outubro. As subidas dos preços são generalizadas, houve um acréscimo médio na ordem de 5,82 por cento, de acordo com a nova tabela de preços máximos fixados pela Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME).

De acordo com a nota tabela de preços, o gasóleo normal a ser vendido a 146,30 ESC/L; a gasolina a ser vendida a 160,00 ESC/L; o petróleo, a ser vendido a 160,50 ESC/L; o gasóleo para eletricidade, a 132,60 ESC/L; o gasóleo marinha, passa a custar 114,80 ESC/L. O Fuel 380, passa a ser vendido a 95,80 ESC/kg e o Fuel 180, a ser vendido a 100,20 ESC/kg.

Por seu turno, o gás butano passa a ser vendido a granel por 150/60 ESC/kg; sendo as garrafas de 3kg , vendidas a 429,00 ESC; as de 6 kg, a 904,00 ESC; as de 12,5 kg, a 1.883,00 ESC e as de 55 kg, a 8.285,00 ESC.

“Em termos percentuais, no mercado interno, os preços do Butano, da Gasolina, do Petróleo, do Gasóleo Normal, do Gasóleo Eletricidade, do Gasóleo Marinha, do Fuelóleo 180 e do Fuelóleo 380 aumentaram em 7,26%, 3,16%, 5,38%, 6,09%, 6,85%, 6,89%, 4,81% e 4,47%, respetivamente, o que corresponde a um acréscimo médio dos preços dos combustíveis de 5,82 por cento”, indica a ARME.

Comparado com Outubro de 2022, a variação média dos preços dos combustíveis corresponde a uma diminuição de 8,31% e, relactivamente à variação média ao longo do ano em curso, corresponde a um aumento de 9,48 por cento. 

Segundo a ARME, os principais motivos desta subida de preços do petróleo, têm que ver com os cortes de produção de petróleo pela Arábia Saudita e a Rússia, extensível até final do corrente ano, gerando um défice na oferta global de 1,3 milhões de barris por dia no último trimestre; os baixos níveis de produção de petróleo de xisto nos Estados Unidos da América, podendo cair para 9,393 milhões de barris por dia em outubro, o nível mais baixo desde maio de 2023 e o aumento da demanda global de petróleo devido à procura robusta por esta matéria-prima no continente asiático.

Entretanto, indicou que esta subida foi atenuada, sobretudo, pelos receios de possíveis aumentos das taxas de juro de referência, por parte dos Bancos Centrais, para combater a inflação, potenciada essencialmente pelos elevados preços de energia.

Os novos preços máximos de venda ao consumidor final devem vigorar até 31 de Outubro de 2023.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,30 set 2023 20:16

Editado porDulcina Mendes  em  22 abr 2024 23:28

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.