Windcredible quer apostar na eólica em Cabo Verde

PorAndre Amaral,9 mai 2024 16:21

António Santos (ao centro), um dos sócios da Windcredible
António Santos (ao centro), um dos sócios da Windcredible

No debate ‘Energia - o desafio para um futuro sustentável’, realizado no âmbito da Leadership Summit que decorre na Praia, foi apresentada uma solução de aproveitamento de energias renováveis pela Windcredible.

António Santos, um dos sócios da Windcredible, explicou, durante o debate, que Cabo Verde é um país “muito rico em recursos eólicos e solares” e, por isso, um mercado interessante para a sua empresa.

A Windcredible, explicou António Santos, desenvolveu uma tecnologia “simples e robusta” que permitiu a criação de turbinas eólicas de pequena dimensão e que poderão ser importantes no fornecimento de energia eléctrica a comunidades isoladas e dispersas. Além disso, assegurou, as turbinas eólicas poderão ser complementares aos sistemas de produção solar existentes no país.

“Nós queremos posicionar-nos também na hibridização. Ou seja, Cabo Verde já disseminou energia solar em vários pontos e tem tido um imenso sucesso, um crescimento e um know-how muito grande nesse campo. Nós, com as nossas turbinas eólicas, queremos acompanhar a energia solar. Como? A nossa tecnologia consegue complementar o trabalho que já havia sido feito até agora e exponenciar o valor do que foi implementado, exponenciar o investimento. Portanto, nós acreditamos que a nossa abordagem não só satisfaz a necessidade energética local, mas também poderá estabelecer, e isso que é muito importante, um modelo para outros países africanos”, apontou António Santos durante a sua intervenção.

Para este empresário, o principal desafio para um sistema energético que depende de fontes renováveis, “é exactamente a sua variabilidade e intermitência. Ou seja, nós podemos a dado momento estar a produzir imensa energia e ela não estar a ser consumida, como podemos ter uma necessidade energética muito grande e não haver produção. E esta situação, em Cabo Verde, é catalisada, exponenciada, devido ao isolamento e à distância entre as ilhas”.

Para António Santos, a solução para esta questão, no arquipélago, passa por tecnologias de armazenamento de energia.

“É importante criar estratégias com as grandes indústrias, criar uma centralização de armazenamento de energia, mas também a nível residencial e de pequenos comércios. Uma das estratégias também utilizadas é a programação do consumo energético. Ou seja, temos de mudar o paradigma e reeducar a nossa sociedade a utilizar a energia quando ela é produzida. Mudar os horários, mudar as formas de estar, mudar um bocadinho a forma de estar na utilização de energia”, concluiu.

O Leadership Summit teve início no dia 7 e decorre na Praia até dia 10 sob o lema 'Sustentabilidade Turística, Energética e Ambiental'.

O evento tem como objectivo "estimular uma abordagem abrangente que motive as lideranças presentes e futuras do país. Empreender um processo de crescimento sustentável nas áreas energéticas, turísticas e digitais", refere a organização.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,9 mai 2024 16:21

Editado porSara Almeida  em  14 jul 2024 23:29

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.