Destaques da edição 914

PorExpresso das Ilhas,5 jun 2019 0:12

Nesta edição, o Expresso das Ilhas destaca a entrevista com Jonuel Gonçalves: “Com a crise, descobrimos que os políticos e os banqueiros são uns incompetentes”.

É economista, professor universitário, escritor e jornalista. Nasceu em Angola, mas hoje é um nómada com paragens no Brasil e em Portugal. Não tem em grande conta os decisores financeiros – sejam públicos, sejam privados – e apesar da solidariedade Sul/Sul ser algo muito bonito na teoria, na prática, diz, quando as coisas dão para o torto, é o: “salve-se quem puder”. Jonuel Gonçalves vai viver em Cabo Verde nos próximos meses para escrever uma história económica de Angola, “em sossego”. Entretanto, editou recentemente o livro Do Capitão Gonçalves Zarco ao Capitão Jair Bolsonaro: Movimentos Pendulares de Economia e Poder no Atlântico Sul. É esta obra que dá a mote à conversa, mas a entrevista aborda muitos outros temas.

Também neste número, 20 anos depois: Mindelo volta a querer um oceanário. Duas décadas depois o projecto é retomado e, desta vez, pode ter uma abrangência que vai para lá da construção do aquário. A requalificação da baixa da cidade é também objectivo. António Jorge Delgado, que esteve por trás da ideia em 1999, quando era Ministro da Cultura, diz ao Expresso das Ilhas que “tudo converge para virmos a ter algo de extraordinário em São Vicente”.

Efeitos da lei do grogue já se sentem em diferentes domínios. O programa Vagrogue foi desenhado pelo Ministério do Desenvolvimento Rural há quase dez anos, em 2010. Mas foi a partir de 2015, com a criação da lei e entrada em cena da Inspecção Geral das Actividades Económicas que a regulamentação do fabrico e comercialização da aguardente começou a dar passos. Os efeitos do trabalho desenvolvido pela IGAE já se fazem sentir em diversos domínios e mesmo os produtores reconhecem que a valorização do grogue justifica os gastos e as perdas que tiveram que contabilizar neste processo de profundas mudanças. Para Elisângelo Monteiro, inspector-geral, todo o trabalho desenvolvido vai reflectir-se no crescimento económico e contribuir para o desenvolvimento.

Banco de Cabo Verde reduz taxa de juro. BCV anunciou esta terça-feira a descida da taxa de juro de 4,5% para 3%. A medida vem, segundo o banco central, melhorar a “eficácia do mecanismo de transmissão monetária”. Todas as outras taxas se mantêm inalteradas. O Banco Central alerta que “os impactos almejados destas medidas serão melhor sucedidos se combinadas com a implementação eficaz de outras medidas de política económica”.

Governo e Tâmega Energy assinam acordo de construção de central fotovoltaica. Calheta de São Miguel vai ter a maior central de produção fotovoltaica do país. Os 10MW de potência instalada permitirão reduzir as emissões de gases poluentes em 11800 toneladas. Durante a cerimónia, o Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou que “significa uma contribuição importante para a produção de energia renovável e para a execução do nosso plano de transição energética”.

No interior, a opinião de  Adriana Carvalho que escreve sobre Histórias da educação na literatura.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,5 jun 2019 0:12

Editado porAntónio Monteiro  em  8 dez 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.